PUBLICIDADE
Topo

Tênis

Nadal pode enfrentar Thiem, campeão do US Open, na semi de Roland Garros

Rafael Nadal busca o 13º título de Roland Garros - RICCARDO ANTIMIANI
Rafael Nadal busca o 13º título de Roland Garros Imagem: RICCARDO ANTIMIANI

24/09/2020 17h05

O espanhol Rafael Nadal, maior vencedor da história de Roland Garros com 12 títulos, e o austríaco Dominic Thiem, atual campeão do US Open, não irão decidir pela terceira vez consecutiva o torneio francês, pois caíram no mesmo lado da chave da tradicional competição disputada em quadra de saibro, segundo o sorteio realizado hoje pelos organizadores do evento.

Nadal (2º lugar do ranking da ATP), que vai estrear nesta edição do torneio contra o bielorrusso Egor Gerasimov (27º), e Thiem (3º), que vai jogar contra o croata Marin Cilic, se enfrentariam em uma hipotética semifinal.

Especialistas no saibro, o espanhol e o austríaco terão nesta competição disputada na capital francesa caminhos bem diferentes: Nadal, de 34 anos, pode ter como principais rivais antes das semifinais o japonês Kei Nishikori na terceira rodada, o italiano Fabio Fognini nas oitavas de final e o alemão Alexander Zverev nas quartas de final.

Já Thiem, teoricamente, pode encarar adversários mais complicados, começando pelo próprio Cilic, campeão do US Open em 2014, seguido pelo suíço Stan Wawrinka, campeão em Paris em 2015, o argentino Diego Schwartzman, que eliminou Nadal recentemente no Masters de Roma, ou o francês Gaël Monfils, o principal nome do tênis francês na atualidade.

Já o sérvio Novak Djokovic, vencedor em Roma do único torneio no saibro disputado até agora, tem um caminho pouco mais fácil. O número um do mundo, de 33 anos, que estreia contra o sueco Mikael Ymer, tem como principais adversários para chegar à final o grego Stefanos Tsitsipas (5º), o canadense Denis Shapovalov (9º) e o espanhol Roberto Batista (10º).

Serena pode enfrentar Azarenka nas oitavas

Na categoria feminina, a americana Serena Williams, que busca seu 24º Grand Slam em Paris, e a bielorrussa Victoria Azarenka, de volta ao primeiro plano do tênis, podem se encontrar nas oitavas de final por estarem na mesma chave.

Williams, de 38 anos, teria a chance de vingar sua recente derrota para o Azarenka, 31, nas semifinais do US Open (1-6, 6-3, 6-3), naquela que foi a primeira vitória da europeia sobre a americana em um torneio de Grand Slam após uma sequência de dez derrotas.

A vencedora desta hipotética partida pode encarar nas quartas de final a ucraniana Elina Svitolina, terceira favorita em Paris, e depois a romena Simona Halep, segunda colocada do mundo e segunda cabeça de chave em Roland Garros, na ausência da australiana Ashleigh Barty, vencedora em Paris no ano passado e que preferiu não viajar para a França devido à pandemia do novo coronavírus.

Já a outra chave não tem uma grande favorita por conta da ausência da número 3 do mundo, a japonesa Naomi Osaka, atual campeã do US Open e que desistiu de ir à capital francesa por conta de uma lesão.

Assim, a tcheca Karolina Pliskova, segunda cabeça de chave, parece como o nome mais forte desta chave, mas com a dúvida de saber se estará recuperada da lesão que a impediu de disputar a final em Roma.

Caso não jogue, quem se beneficiará com sua ausência será a espanhola Garbiñe Muguruza, vencedora de Roland Garros em 2016 e que nesta edição vai estrear contra a tcheca Tamara Zidansek.

Tênis