PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Brescia pretende vetar sua equipe se Campeonato Italiano recomeçar

02/04/2020 21h47

Milão, 3 Abr 2020 (AFP) - O presidente da Brescia, Massimo Cellino, alertou nesta quinta-feira que está disposto a declarar a ausência de sua equipe no caso de uma retomada da temporada da Serie A, em meio à pandemia de coronavírus.

Todas as partidas na Itália foram suspensas desde o início de março até 13 de abril devido à disseminação do coronavírus, que causou mais de 13.000 mortes no país.

Nessas condições, "para mim, voltar a jogar seria pura loucura", disse Massimo Cellino à Gazzetta Dello Sport.

"Se eles nos forçarem a fazê-lo, estou preparado para não escalar a equipe e perder os jogos por 3 a 0 por não comparecimento, em respeito aos cidadãos de Brescia e suas famílias que já foram embora", acrescentou o presidente do clube da Lombardia, região Norte da Itália e foco principal da epidemia na península itálica.

Essas declarações ocorrem depois do anúncio do presidente da Federação Italiana, Gabriele Gravina, que determinou que a temporada chegaria ao fim, mesmo que tivesse que terminar em agosto.

"Aqui temos caminhões que transportam os mortos, estamos no centro da epidemia", lembrou Cellino.

"Sou indiferente ao rebaixamento. Até agora nós merecemos e além disso eu sou o culpado", acrescentou o técnico, cujo clube estava na parte inferior da tabela no momento da interrupção na 26ª rodada.

"Se a Uefa quiser fazer alguma coisa útil, que envie garrafas de oxigênio ou respiradores para Brescia, gostaríamos muito", exclamou.

Em relação a um novo adiamento do campeonato, o presidente do Brescia também manifestou sua opinião: "Não podemos adiar nada, a temporada tem prazo de 30 de junho com a apresentação dos orçamentos dos clubes e o término dos contratos dos jogadores".

"Em todos os casos, os jogadores deixarão 45 dias de inatividade total, é necessário pelo menos um mês de treinamento apenas para que recuperem a forma física", disse ele.

ea/ole/chc/iga/aam

Esporte