PUBLICIDADE
Topo

Barça "nunca contratou serviço para desprestigiar" pessoas, diz presidente

Josep Maria Bartomeu falou sobre Ernesto Valverde durante coletiva de apresentação de Quique Setién no Barcelona - Albert Gea/Reuters
Josep Maria Bartomeu falou sobre Ernesto Valverde durante coletiva de apresentação de Quique Setién no Barcelona Imagem: Albert Gea/Reuters

18/02/2020 16h06

Barcelona, 18 Fev 2020 (AFP) — O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, negou nesta terça-feira que o clube tenha contratado um serviço para difamar nas redes sociais, depois que foram veiculadas reportagens na imprensa que denunciaram essa prática.

"O Barça nunca contratou um serviço para desprestigiar seja quem for. Nem um jogador, nem um ex-jogador, ou qualquer político, gerente, presidente ou ex-presidente", disse Bartomeu durante uma cerimônia de premiação de jornalismo.

"Isso é totalmente falso. Vamos nos defender sempre que necessário sobre esse assunto, por todos os meios", acrescentou o presidente do Barça.

Na segunda-feira, a estação de rádio 'Cadena Ser' disse que o Barça contratou a empresa I3Ventures, que criaria "dezenas de contas dedicadas à proteção da imagem de Bartomeu e do conselho".

"Essas contas também atacam pessoas de diferentes áreas do ecossistema do Barça", acrescentou o SER, afirmando que esses perfis são praticados contra jogadores como Lionel Messi e Gerard Piqué, e ex-jogadores como Xavi Hernández e Carles Puyol.

O Barcelona já publicou na segunda-feira um comunicado negando as informações e afirmando que o que contratou são serviços de monitoramento na internet.

"Repito, é falso que o Barça tenha contratado alguém para desacreditar" terceiros, disse Bartomeu nesta terça-feira.

"É verdade que, no final de 2017, o Barça contratou serviços de monitoramento de diferentes áreas do clube nas redes sociais", explicou o presidente do Barça.

Bartomeu admitiu, no entanto, que "após a confirmação de que uma das contas vinculadas a uma das empresas fornecedoras fez comentários inadequados a pessoas relacionadas à nossa organização, nesta manhã, instruímos, pessoalmente, a rescindir o contrato com esta empresa".

"Que uma coisa fique clara. À pergunta: se encomendamos o monitoramento de redes sociais, a resposta é sim", acrescentou Bartomeu.

"À pergunta: se encomendamos desacreditar pessoas ou instituições através das redes sociais, a resposta é não e vamos atrás de todos aqueles que nos acusarem disso", concluiu.

Barcelona