PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Manchester United vence por 3 a 1 e elimina PSG nas oitavas da Champions

06/03/2019 21h03

Paris, 7 Mar 2019 (AFP) - O Manchester United eliminou o Paris Saint-Germain ao vencer por 3 a 1 como visitante graças a um pênalti marcado com o auxílio da vídeo-arbitragem (VAR) nos acréscimos e convertido por Marcus Rashford, nesta quarta-feira no jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões.

Com esse resultado os ingleses reverteram a vantagem do PSG, que havia vencido na ida por 2 a 0 em Manchester e agora volta a cair de forma dolorosa nas oitavas de final deste torneio pelo terceiro ano consecutivo. Há dois anos, no Camp Nou, o time da capital francesa também deixou escapar uma classificação que estava encaminhada ao ser goleado por 6 a 1 pelo Barcelona depois de vencer o jogo de ida por 4 a 0.

Romelu Lukaku (aos 2 e aos 30 minutos) marcou os dois primeiros gols do Manchester United, aproveitando erros graves do PSG. Juan Bernat havia igualado aos 12 para os parisienses, que resistiram com a classificação virtualmente garantida até o pênalti nos acréscimos, convertido por Rashford para o desespero do time do técnico Thomas Tuchel e a torcida que minutos antes já comemorava.

O Manchester United, que no ano passado havia sido eliminado nas oitavas pelo Sevilla, volta às quartas de final do maior torneio europeu de clubes cinco anos depois.

Depois da saída de José Mourinho em dezembro, os 'Red Devils' ressurgiram das cinzas e a esta histórica noite em Paris se soma a classificação recente da equipe às quartas da Copa da Inglaterra e a ascensão na tabela da Premier League até o atual quarto lugar, dentro da 'zona da Champions'.

Para o PSG, esta derrota é traumática já que com o título na Ligue 1 francesa muito próximo (17 pontos de vantagem sobre o segundo, o Lille), a Champions era o grande desafio para a equipe e o objetivo principal do clube no início da temporada.

Neymar, lesionado, acompanhou a partida na tribuna e Edinson Cavani, afastado por problemas no quadril há quase um mês, reapareceu nos acréscimos (90+5), quando seu time já caminhava para a eliminação.

- Erros defensivos -A partida no Parque dos Príncipes começou com um golpe de sorte para o Manchester United logo aos 2 minutos, quando Timo Kehrer falhou em um recuo na direção de Gianluigi Buffon que Lukaku interceptou e ficou cara a cara com o goleiro italiano, abrindo o placar.

O PSG parecia apagar o incêndio quando empatou aos 12 minutos, com uma bola de Dani Alves para Kylian Mbappé, que deu um passe mortal na segunda trave, onde Bernat estava para empurrar para o fundo das redes do goleiro David De Gea.

Mas o United voltou ficar em vantagem no marcador aos 30 minutos, desta vez com uma falha clamorosa de Buffon, que não conseguiu segurar um chute de longa distância de Marcus Rashsford e o rebote foi aproveitado por Lukaku, que voltou a mostrar seu oportunismo na área para colocar seu time de novo em vantagem.

O técnico Ole Gunnar Solskjaer teve então que mexer na equipe devido a uma lesão do marfinense Eric Bailly, que foi substituído aos 36 minutos pelo português Diogo Dalot.

Ángel Di María ainda marcou (55) mas seu gol foi anulado por estar impedido.

Com Julian Draxler machucado, o PSG também teve que mexer (69) mas continuou sem encontrar a fórmula para o gol que traria tranquilidade, com a ameaça da eliminação ainda muito presente.

Mbappé teve uma grande chance cara a cara com De Gea, mas tropeçou e a bola acabou sobrando para Bernat, que deu um chute cruzado quase sem ângulo que explodiu na trave.

Nos acréscimos, aconteceu o que a torcida parisiense mais temia. Em um ataque do Manchester United a bola bateu no braço de Presnel Kimpembe e o juiz marcou pênalti após conferir com o auxílio do vídeo. Rashford (90+4) não desperdiçou e com um chute forte no alto levou seu time às quartas de final.

- Thiago Silva pede desculpas, Solskjaer comemora -O capitão do PSG, Thiago Silva, pediu desculpas à torcida parisiense após mais uma eliminação traumática. "É difícil falar, ainda mais de cabeça quente. É uma pena porque jogamos muito bem o jogo no estádio deles, mas aqui não fizemos as coisas que havíamos feito. É uma pena esta eliminação, tinhamos percorrido um belo caminho e mais uma vez ficamos nesta fase. Ganhamos de 2 a 0 lá, eles ganharam aqui. O futebol é assim".

Neymar, que assistiu o jogo no Parque dos Príncipes protestou contra a marcação. "É uma vergonha. Colocam quatro caras que não entendem de futebol para ver um lance em câmera lenta", reclamou em um 'story' em sua conta no Instagram, pouco depois da eliminação.

A tristeza e o inconformismo do lado parisiense contrastava com a felicidade do técnico norueguês Ole Gunnar Solskjaer, orgulhoso de seus jogadores que, segundo ele, "sempre acreditaram" na virada.

"Tínhamos um plano, é claro. Não se tratava de ter a posse de bola, porque contra esta equipe, não se pode deixar muitos espaços, com Mbappé...", explicou Solskjaer em entrevista coletiva.

"O plano era marcar primeiro, estar no jogo a dez minutos do fim, e ver o que acontecia (...) Sir Alex Ferguson me disse depois da partida que estava muito orgulhoso. Assim fazemos as coisas no Manchester United!", sentenciou.

Perguntado se esta vitória será suficiente para que ele siga em Old Trafford na próxima temporada, Solskjaer afirmou: "Tento fazer este trabalho da melhor forma possível a cada dia. Vou ver até onde ele me leva. Hoje foi fantástico. Vou tentar desfrutar deste trabalho ao máximo, e sorrir".

bur-as/dr/iga/aam

Esporte