PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Löw descarta Müller, Boateng e Hummels para renovar seleção alemã

05/03/2019 18h28

Wolfsburgo, Alemanha, 5 Mar 2019 (AFP) - Müller, Boateng, Hummels, três campeões do mundo em 2014 descartados de uma só vez, e uma nova geração chamada a "assumir responsabilidades". O técnico alemão Joachim Löw anunciou nesta terça-feira uma grande mudança, sete meses depois da derrocada na Copa da Rússia de 2018.

A três semanas da primeira partida das eliminatórias para a Eurocopa-2020, o treinador da 'Mannschaft', durante muito tempo criticado por sua fidelidade aos jogadores históricos, foi a Munique nesta terça-feira para anunciar a decisão de não convocar mais as três estrelas do Bayern.

"Agradeço a Mats, Jérôme e Thomas todos estes anos extraordinários de sucesso que passamos juntos", afirmou o técnico.

"A decisão mais dura de seus 13 anos no comando", comentou a imprensa nesta terça-feira.

A notícia deve ter surpreendido o trio, que provavelmente não esperava ser descartado a dois anos da Eurocopa-2020.

Müller, apesar de suas 100 partidas pela seleção, tem apenas 29 anos. Hummels e Boateng (respectivamente 70 e 76 partidas) têm 30 anos, uma idade propícia para exercer a liderança em uma equipe.

- Boateng: 'estou triste' -Os três foram os pilares da grande Alemanha campeã do mundo no Brasil. Mas também participaram da catastrófica primeira fase do Mundial da Rússia de 2018, com uma eliminação prematura na fase de grupos em que a 'Mannschaft' perdeu para o México... e para a Coreia do Sul.

O primeiro dos jogadores a reagir foi Boateng. "Estou triste, porque para mim, representar meu país sempre foi o que há de maior", tuitou o zagueiro central, "mas respeito a decisão do técnico".

"2019 é para a seleção da Alemanha o ano de um novo começo", se justificou Löw. "Queremos dar uma nova cara à equipe. Estou convencido de que é a decisão correta. Os jovens jogadores da seleção terão espaço para se desenvolverem por completo. Cabe agora a eles assumir a responsabilidade".

Esta decisão causou um grande impacto na Alemanha e surpreende levando em conta a trajetória de Löw nos últimos tempos. O técnico nunca se mostrou favorável a mudanças bruscas, e se negou a abrir mão de suas velhas estrelas após o Mundial, citando como dogma "o indispensável equilíbrio entre juventude e experiência".

- Nova geração vai lutar pelo penta -Além de Mesut Özil, que deixou a seleção depois de uma polêmica em torno de suas origens turcas, o único 'estrangeiro' afastado depois do Mundial foi Sami Khedira. Boateng apenas teve um "descanso" nas duas últimas partidas de 2018.

Entre os campeões do mundo de 2014 só sobram entre os selecionáveis o goleiro do Bayern de Munique, Manuel Neuer, e o meia do Real Madrid Toni Kroos. E o próprio Neuer não é mais intocável, já que Löw anunciou que "daria uma oportunidade" este ano a Marc André Ter Stegen, goleiro do Barcelona.

As estrelas alemãs do futuro se chamam Timo Werner, Leroy Sané e Serge Gnabry... Em suas mãos está a missão de conquistar mais uma Copa para a seleção tetracampeã.

cpb/iga/pm/aam

Esporte