PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Navratilova se desculpa por dizer que atletas transgênero são "trapaceiras"

Em coluna em jornal inglês, Navratilova afirmou que atletas transgênero teriam vantagem sobre outras competidoras - Paul Crock/AFP
Em coluna em jornal inglês, Navratilova afirmou que atletas transgênero teriam vantagem sobre outras competidoras Imagem: Paul Crock/AFP

03/03/2019 22h21

A ex-tenista tcheca naturalizada americana Martina Navratilova pediu desculpas, neste domingo (3), depois de ter descrito as atletas transgênero que desejam participar de Dcompetições femininas como "trapaceiras".

Sempre considerada como ícone da causa LGBT, a lenda do tênis foi chamada de "transfóbica" depois de ter escrito uma coluna no jornal inglês The Sunday Times, no último dia 17 de fevereiro, na qual defendia que permitir às esportistas transgênero competir com outras registradas como mulheres ao nascer era "trapacear e injusto".

"Sei que meu uso da palavra 'trapaça' provoca uma particular ofensa na comunidade transgênero. Me desculpo porque sem dúvida não estou sugerindo que as atletas transgênero em geral são trapaceiras", disse em um blog a ex-jogadora de 62 anos e que possui 18 títulos de Grand Slam no currículo. 

"Coloquei a etiqueta em um hipotético caso em que alguém mude de gênero de maneira cínica, talvez de forma temporal, para conseguir uma vantagem competitiva", acrescentou.

Depois de se desculpar, Navratilova acrescentou que o tema das atletas transgênero e a competição feminina seguirá provocando debates e levantando questões éticas.

Navratilova - Darren England/Getty Images - Darren England/Getty Images
Martina Navratilova sempre foi considerada ícone da causa gay
Imagem: Darren England/Getty Images

Mas ela considera que tentar resolver a equação criando novas categorias poderia gerar uma confusão ainda maior. "Primeiro, temos que nos dar conta de que não há uma solução perfeita na qual alguém não seja prejudicado ou fique em desvantagem. O objetivo é encontrar políticas para tornar o esporte feminino o mais inclusivo e justo possível", declarou.

Pouco depois da publicação da sua coluna, Navratilova reiterou sua opinião em uma publicação no Twitter. "É insano e desleal. Fico feliz em falar com mulheres trans da forma que elas preferirem, mas eu não gostaria de competir contra elas. Não seria justo", colocou. 

Há cerca de duas semanas, a ex-jogadora já havia sido excluída do conselho do grupo LGBT sem fins lucrativos "Athlet Ally". Em comunicado, a entidade declarou que "os comentários recentes de Martina Navratilova sobre atletas trans são transfóbicos, baseados em um falso entendimento da ciência e que perpetua perigosos mitos que atingem continuamente as pessoas trans". 

Dias antes, a ONG "Trans Actual" também condenara a fala da norte-americana. "Se as mulheres trans levam vantagem no esporte, por que elas não estão ganhando medalhas de ouro em todos os lugares? Porque mulheres trans não têm vantagem. Perceba as mudanças que o estrogênio faz com o corpo", escreveu a organização no Twitter. 

Esporte