PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Proposta bilionária de ampliação do Mundial de clubes é descartada

Proposta de investidores foi descartada, mas mudança no Mundial de Clubes ainda deve ser votada e pode ocorrer - Reprodução
Proposta de investidores foi descartada, mas mudança no Mundial de Clubes ainda deve ser votada e pode ocorrer Imagem: Reprodução

Da AFP

Em Lausanne (Suíça)

28/02/2019 17h06

Uma proposta de US$ 25 bilhões (R$ 93,8 bilhões) de investidores para reformular o Mundial de Clubes de futebol, apoiada pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino, foi descartada, confirmaram hoje fontes concordantes.

Infantino defendia há meses a necessidade de reformular o Mundial de Clubes, que se disputa anualmente em dezembro com sete participantes. A ideia era ampliar a competição para 24 clubes e que ela passasse a ser disputada a cada quatro anos a partir de 2021.

Um grupo de investidores, que não teve o nome revelado pela Fifa, mas que diversas fontes afirmam ser do Japão e do Oriente Médio, havia apresentado uma proposta de US$ 25 bilhões para investir nesse novo Mundial de Clubes e também em uma Liga Mundial de Nações, outro projeto de Infantino.

"A proposta de investidores em relação ao Mundial de Clubes ampliado foi descartada. Se o princípio deste Mundial de Clubes ampliado for aprovado em março em Miami, será comercializado de maneira tradicional, recorrendo a uma licitação", afirmou à AFP uma fonte próxima ao tema.

Esse grupo de investidores poderia eventualmente apresentar uma nova proposta se o processo tradicional for seguido, completou outra fonte.

O anúncio foi realizado hoje em reunião em Zurique da Stakeholders Committee, que reúne representantes das confederações, dos clubes, das ligas e dos jogadores, e que é presidida pelo canadense Victor Montagliani, presidente da Concacaf. Infantino não participou da reunião.

O projeto de Infantino foi apresentado em outubro em Kigali (Ruanda), em uma reunião do Conselho da Fifa, que governa o futebol no mundo. Mas o presidente da Fifa não conseguiu aprovar a mudança devido à forte oposição que encontrou, principalmente da Uefa, que denunciava um projeto precipitado e pouco transparente.

O Conselho da Fifa se reunirá novamente nos dias 14 e 15 de março em Miami, quando o projeto de ampliar a Copa do Mundo do Qatar-2022 de 32 para 48 seleções participantes também deverá ser submetido a votação.

Esporte