PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dono dos Patriots é acusado de envolvimento com prostituição

22/02/2019 18h05

Miami, 22 Fev 2019 (AFP) - Robert Kraft, dono dos New England Patriots, vencedores do Super Bowl do futebol americano, foi acusado nesta sexta-feira de solicitar serviços de prostituição.

O chefe da polícia de Jupiter, Daniel Kerr, disse em coletiva que os investigadores possuem um vídeo que prova que Kraft manteve uma relação sexual com uma prostituta.

O empresário de 77 anos é amigo do presidente Donald Trump e dono dos Patriots, que derrotaram no início do mês na final do campeonato profissional de futebol americano o Los Angeles Rams e conquistaram seu terceiro Super Bowl em cinco anos

Kerr acrescentou que o resultado da investigação foi passado ao procurador da Flórida Ashley Moody, cujo escritório deverá acusar formalmente o empresário.

Segundo o chefe de polícia, Kraft deverá receber duas acusações diferentes correspondentes a duas relações que manteve com prostitutas.

"Negamos categoricamente que o Sr. Kraft tenha participado de qualquer atividade ilegal", disse um porta-voz do empresário em um comunicado à AFP.

"Na medida em que isso se trata de um tema judicial", acrescentou, "não faremos mais comentários".

A acusação contra Robert Kraft ocorre em meio ao desmantelamento de uma rede de prostituição relacionada a uma casa de massagens e cuidados corporais na cidade de Jupiter, chamada Orchids of Asia Day.

Dois homens suspeitos de liderar esse estabelecimento já foram detidos, disse Kerr.

Além de Robert Kraft, 24 suspeitos de serem clientes dessa rede de prostituição serão acusados pela Procuradoria da Flórida.

Robert Kraft, um empresário originário dos subúrbios de Boston, fez sua fortuna na indústria de papel e embalagens.

Ele comprou o New England Patriots em 1994 e transformou o clube, que conquistou seis Super Bowls desde 2002, um recorde.

tu/sdu/ma/aam

Esporte