PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Natação russa sofre de doping 'sistemático', afirma jornal inglês

23/03/2016 14h25

Londres, 23 Mar 2016 (AFP) - Seguindo o exemplo do atletismo da Rússia, a natação do país também recorreu "sistematicamente" ao doping nos últimos anos, denunciou nesta quarta-feira o jornal britânico The Times, que realizou uma investigação baseada em testemunhos e provas.

De acordo com o jornal, o médico Sergei Portugalov, membro do conselho médico da Federação de Natação e suspeito de participar na organização do doping de estado dos atletas russos, também teria incitado aos nadadores do país a tomar substâncias dopantes.

A matéria cita um testemunho que afirma que os atletas tinham à disposição "pílulas e produtos" para serem usados ao longo de uma competição em Moscou.

Um técnico também declarou a um dirigente da federação que a equipe tinha "seu próprio laboratório farmacológico".

Dois nadadores russos escaparam de serem punidos após serem flagrados pela substância EPO em 2009, segundo o jornal.

O The Times afirma também que muitas testemunhas, incluindo de dirigentes aterrorizados por possíveis represálias, nunca quiseram denunciar a prática de doping organizado.

"Se estas acusações têm fundamento, são de interesse da Agência Mundial Antidoping (Wada) e investigaremos com seriedade", garantiu Craig Reedie, presidente da Wada, citado pelo The Times, que tentou sem sucesso contactar o Dr. Portugalov, a Federação Russa de Natação e a Fina, Federação Mundial de Natação.

"A Federação Russa de Natação condena o doping. Desenvolvemos há anos um programa antidoping com o objetivo de lutar contra o doping no esporte. A informação de casos encobertos é falsa", afirmou a instituição russa em comunicado após a publicação da matéria.

Os nadadores russos foram flagrados em antidoping mais de 40 vezes na última década, mais que qualquer outro país.

Na quinta-feira, a tetracampeã do mundo no nado peito Yuliya Efimova, que foi pega num exame antidoping por uso de Meldonium (medicamento proibido desde 1 de janeiro pela Wada), foi suspensa temporariamente pela Fina e poderia ser banida para sempre do esporte.

thw-cd/cto/maz/am

Esporte