PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente da federação boliviana pede a técnico para 'trabalhar mais e falar menos'

25/01/2016 16h15

La Paz, 25 Jan 2016 (AFP) - O novo presidente da Federação Boliviana (FBF), Rolando López, pediu ao técnico da seleção, Julio César Baldivieso, para "trabalhar mais e falar menos", antes dos importantes duelos contra Colômbia e Argentina em março, pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo da Rússia-2018.

De acordo com declarações do presidente da FBF ao jornal boliviano Página Siete, Baldivieso "deve seguir na seleção", mas "é preciso exigir um trabalho bem planejado" e "trabalhar mais e falar menos".

"Eu não quero um técnico que fique buscando conflitos com a imprensa nem com ninguém. Quero um técnico que trabalhe e se faça respeitar por seu trabalho", insistiu López, eleito na semana passada para comandar a federação pelos próximos dois anos.

Devido às críticas aos próprios jogadores, Baldivieso não pôde contar no início das eliminatórias com o capitão Ronald Raldes e o atacante Marcelo Moreno, que desistiram de defender a seleção.

Em relação a Moreno, de pai brasileiro e com passagens por Cruzeiro, Grêmio e Flamengo (joga hoje no Changchun Yatai, da China), López afirmou que irá "fazer todos os esforços para que volte à seleção, já que é um jogador importante por sua experiência internacional".

Ao comunicar sua decisão de não defender mais a seleção, Marcelo Moreno afirmou em setembro que "não há possibilidade de vestir a camisa da Bolívia com este profissional no cargo de técnico" e que "não concordo com a postura que ele vem tendo com a gente. Foram várias declarações infelizes desde nosso último jogo".

O polêmico treinador estreou nas eliminatórias com derrota por 2 a 0 em casa para o Uruguai, antes de perder como visitante para o Equador, pelo mesmo placar. Em seguida, se recuperou derrotando a Venezuela por 4 a 2, antes de ser derrotado por 2 a 1 pelo Paraguai, em Assunção.

A Bolívia ocupa a penúltima colocação na tabela das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo da Rússia-2018, com três pontos em quatro jogos.

Esporte