Wimbledon? Cirurgião de Djokovic acha improvável

Novak Djokovic operou o menisco lesionado do joelho direito ainda na semana passada, logo depois de desistir do torneio de Roland Garros. A chave principal de Wimbledon começa no dia 1º de julho, o que dá ao sérvio cerca de duas semanas para estar recuperado e apto a competir na grama londrina. Será possível?

Nesta sexta-feira, dia 14, o sérvio publicou em sua conta no Instagram um vídeo de seu trabalho fisioterápico, com uma legenda simples: "progresso" (veja abaixo). O post alimenta as esperanças de quem acredita que sua participação no slam da grama será possível. Por outro lado, há quem aposte que Djokovic vai optar pelo caminho mais cauteloso: evitar Wimbledon e se preparar melhor para os Jogos Olímpicos Paris 2024. Afinal, o veterano sempre destacou que uma medalha de ouro olímpico é um de seus últimos sonhos no tênis profissional.

O médico responsável pela cirurgia de Djokovic afirmou, em entrevista ao jornal francês L'Équipe, que, embora sem descartar nada, não acha provável uma participação em Wimbledon.

"Podemos sonhar e dizer que tudo vai acontecer muito rápido, mas durante os 45 minutos em que estive com Novak, seu time e Vincent Guillard, médico da Federação Francesa de Tênis (FFT), fui muito claro ao dizer que tudo depende da reação do joelho. Ao aumentar a carga aos poucos, veremos se ele vai continuar sem inflamação ou dor. Teremos de ver como evolui no dia a dia, mas é impossível prever em que estado ele estará daqui a uma semana ou 15 dias. Que isso vá acontecer em três semanas parece improvável", disse o Dr. Antoine Gerometta no dia 10 de junho.

Oficialmente, Djokovic nunca falou sobre o que estipula como meta para seu retorno. Apenas escreveu: "Farei meu melhor para estar saudável e em forma para voltar às quadras o mais cedo possível."

Deixe seu comentário

Só para assinantes