PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Seixas: Mercedes deu enorme passo à frente e começa a ter chance de vencer

Do UOL, em São Paulo

04/07/2022 04h00

Após um início de temporada de pouco brilho, a Mercedes dá sinais de evolução. No GP da Grã-Bretanha deste domingo (3), Lewis Hamilton liderou algumas voltas em Silverstone, algo incomum nesta temporada, e travou disputas intensas com Carlos Sainz, Sergio Pérez e Charles Leclerc. O terceiro lugar e a competitividade do heptacampeão foram alguns dos principais destaques da prova. Apesar do abandono de George Russell, envolvido no acidente ocorrido logo após a largada, a escuderia alemã se mostra capaz de incomodar os carros da Red Bull e da Ferrari.

Na Live F1 do Seixas e do Flavio, transmitida pelo UOL Esporte logo após as corridas da Fórmula 1, os jornalistas Fábio Seixas e Flavio Gomes conversaram sobre a evolução da Mercedes nas últimas corridas. Ambos explicaram como os carros da equipe melhoraram de rendimento e projetam um desempenho ainda melhor para Hamilton e Russell.

"Até agora, a chance de a Mercedes ganhar uma corrida era zero. Agora, começa a ter chance. A Mercedes deu um enorme passo à frente. Após o Canadá, essa perspectiva de sete corridas em autódromos, com circuito fechado e asfalto lisinho, é muito boa para a Mercedes. A equipe resolveu muito do porpoising, do carro batendo no chão", observou Seixas, referindo-se a um dos problemas mais visíveis dos carros da equipe alemã, que pareciam 'quicar' na pista.

Gomes concordou com Seixas e destacou o bom desempenho de Hamilton na pista inglesa. "Nessa situação, em circuitos que não são de rua, a Mercedes começaria a andar melhor. Já vimos isso com muita clareza nesta corrida em Silverstone, com o Hamilton terminando em terceiro. Em um momento, pensei que se a Ferrari não parasse, o Hamilton ganharia a prova", comentou o colunista do UOL.

Com o terceiro lugar obtido em Silverstone, Hamilton subiu ao pódio pela segunda corrida consecutiva - ele também ficou em terceiro no GP do Canadá. Além do GP da Grã-Bretanha, a sequência de provas em autódromos conta com as provas na Áustria, França, Hungria, Bélgica, Holanda e Itália, sendo quebrada com o GP de Cingapura no circuito de rua de Marina Bay.

Embora o cenário pareça favorável à Mercedes nas próximas corridas, Seixas considera que a equipe ainda precisa de algum componente extra para, enfim, ganhar uma corrida neste ano. "Em uma corrida como a de hoje [ontem], meio maluca, com acidentes e pilotos da frente com problemas, Hamilton e Russell podem lutar por vitórias. A Mercedes tem chances de vitórias, mas alguma coisa ainda tem que acontecer. No mano a mano, com os carros inteiros, ainda não dá. Mas já consegue lutar por um pódio e por uma segunda fila [no grid], algo que não acontecia até outro dia", observou.

O abismo que parecia existir no início da temporada entre Red Bull e Ferrari em relação à Mercedes, na visão de Seixas, já deixou de ser um obstáculo intransponível. "Hoje, a Mercedes está em um segundo degrau. O primeiro ainda tem Ferrari e Red Bull, com a Mercedes muito mais próxima dessas duas", completou o colunista do UOL.

Não perca! A próxima edição da Live F1 do Seixas e do Flavio será logo após o GP da Áustria, em 10 de julho. Você pode acompanhar o programa pelo Canal UOL, no canal do UOL Esporte no Youtube e pelas redes sociais do UOL.

Fórmula 1