PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Maurício Souza reclama por Douglas não o apoiar ao ser acusado de homofobia

Douglas Souza comemora ponto com Maurício Souza - Divulgação/FIVB
Douglas Souza comemora ponto com Maurício Souza Imagem: Divulgação/FIVB

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/06/2022 13h41Atualizada em 14/06/2022 14h47

Cerca de oito meses depois da polêmica envolvendo a declaração que fez sobre a sexualidade do Superman, o ex-jogador de vôlei Maurício Souza reclamou da atitude de Douglas Souza no episódio. O ex-central de 33 anos reclamou de não recebido apoio do ex-companheiro de seleção e disse que, diante das acusações de homofobia que ele estava recebendo, Douglas "não teve culhão de falar: 'Joguei com Maurício, conheço ele e nunca foi homofóbico'". A entrevista foi dada ao podcast "Cara a Tapa", do jornalista Rica Perrone.

Maurício acrescentou que não esperava a reação que o ponteiro teve diante dos episódios e que Douglas "usou" a visibilidade dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

"Sinceramente, não esperava, mas percebi que ele já estava 'fora da casinha'. Queria outras coisas, não mais o vôlei. Na verdade, ele usou a Olimpíada. Ficou sambando em cima da cama com o uniforme da seleção brasileira. Aquilo lá foi o 'boom', ele começou a crescer nas redes sociais e talvez tenha perdido o norte", disse.

"Ele é um bom jogador, ótimo jogador. Talvez tenha percebido que estava ganhando mais dinheiro sendo digital influencer, mas aí não tem a paixão pelo negócio", acrescentou Maurício Souza.

O ex-jogador negou ser homofóbico e garantiu que tinha uma ótima relação com Douglas.

"Era ótimo [o relacionamento com Douglas]. Ótimo, tudo na boa. É que sou bruto, talvez eu tenha feito alguma brincadeira no passado que ele não tenha gostado, mas a relação era ótima, nunca teve problema nenhum dentro da seleção ou do Taubaté, [onde] jogamos juntos também."

Relembre o caso

Em outubro do ano passado, no Dia das Crianças, Maurício Souza fez uma publicação em seu Instagram criticando a revelação de que o atual Superman, Joe Kent, era bissexual. "Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", escreveu.

Com a repercussão do comentário, o também atleta Douglas Souza, companheiro de Maurício na seleção brasileira, rebateu a declaração "Engraçado que eu não 'virei heterossexual' vendo os super-heróis homens beijando mulheres. Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade para sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo sim", disparou.

Isso deu início a uma troca de farpas entre eles, que também contou com o posicionamento de outros atletas da modalidade. Enquanto Sidão e Wallace concordaram com a reprovação de Maurício Souza, diversas atletas da seleção feminina fizeram coro ao posicionamento de Douglas.

A polêmica viralizou nas redes sociais e mobilizou cobranças tanto à então equipe do central, o Minas Tênis Clube, quanto aos patrocinadores da equipe. A Fiat e a Gerdau repudiaram a fala homofóbica e exigiram "medidas cabíveis" da agremiação. Após o posicionamento da patrocinadora, Douglas Souza fez agradecimentos à concessionária.

Por conta das pressões, a equipe decidiu afastar o atleta de 33 anos por tempo indeterminado, além de estipular o pagamento de uma multa e o orientar a fazer uma retratação pública. Maurício Souza decidiu fazer o pedido de desculpas, sem explicar os motivos, apenas no Twitter e para seus menos de 50 internautas. No Instagram, onde tinha publicado a crítica, ele contava com mais de 300 mil seguidores.

Douglas Souza voltou às redes sociais para criticar a punição determinada ao ex-companheiro. O ponteiro argumentou que multa e retratação não eram suficientes pelas falas criminosas. "O famoso não vai dar em nada né. Toda vez a mesma coisa, cansado disso de sempre ter falas criminosas e no máximo que rola é uma "multa" e uma retratação nas redes sociais. Até quando?", questionou.

Foi então que, cerca de duas semanas depois da publicação de Maurício Souza, o Minas Tênis Clube anunciou a rescisão do contrato do atleta. A decisão foi a quarta mudança de postura da equipe em menos de 48 horas.

Desde então, Maurício Souza está fora do vôlei. Em março deste ano, o ex-central se filiou ao PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, e tentará entrar na carreira política como deputado federal por Minas Gerais. Durante esse tempo, Douglas também se afastou do esporte.

O ponteiro de 26 anos deixou o Vibo Valentia, da Itália, em dezembro de 2021, voltou para São Paulo e anunciou que não defenderia mais a seleção brasileira para cuidar de sua saúde mental. No início deste mês, no entanto, Douglas acertou seu retorno à modalidade e defenderá o Farma Conde/São José Vôlei, do interior paulista.

Sem arrependimentos

Durante a participação no 'Cara a Tapa', Maurício Souza também afirmou que não se arrepende dos comentários feitos no ano passado, mesmo que isso tenha custado seguir no esporte. "Continuo pensando da mesma forma. Se hoje tivesse que passar por tudo de novo, eu passaria. Não me arrependo", afirmou o ex-jogador.

"Não sou [homofóbico], nunca fui nem nunca vou ser. E tinha tudo para ser, depois do que eles fizeram, mas mesmo assim não tenho nada contra ninguém", completou. O ex-jogador ainda disse que "não ofendeu ninguém" com as declarações que geraram a polêmica."Minha opinião foi calada por algo que falei em uma pauta conservadora e não ofendi ninguém", concluiu.

Vôlei