PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Neto desabafa após massacre no Texas: 'Não consegui dormir de medo'

Neto, no Os Donos da Bola, da TV Band - Reprodução/TV Band
Neto, no Os Donos da Bola, da TV Band Imagem: Reprodução/TV Band

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/05/2022 14h01

Um dia após um atirador invadir uma escola no Texas e matar 19 crianças e dois adultos, o apresentador e comentarista Neto, da TV Band, aproveitou a abertura do "Os Donos da Bola" para desabafar, dizendo como o episódio afetou a própria rotina.

Neto se disse triste e decepcionado com a humanidade. O apresentador ainda contou que não conseguiu dormir à noite, e que, com medo, ficou abraçado no filho.

"Hoje é um dia triste. Estou muito triste pelo que aconteceu nos EUA, mas a gente tem que trabalhar, a gente tem que ser forte. Nesse mundo, a nossa raça tinha que ser limada do mundo. 'Rapa' todo mundo e faz uma melhor, mais humanista, uma raça que tenha mais compaixão. Não que eu seja 100%, mas meu coração é muito grande", disse Neto.

"Quando você vê vinte crianças morrerem por causa de um menino de 18 anos - não sei se foi bullying [o motivo], não me importa o que foi - e a gente não ter nenhum tipo de visão daquilo que o mundo está mostrando? [...] Ontem eu não consegui dormir, fiquei abraçado com meu filho, de medo. E eu não tenho. Mas ontem eu fiquei", acrescentou o ídolo corintiano.

O apresentador ainda argumentou contra o aumento de vendas de armas de fogo no Brasil, citando outras necessidades do país.

"Está todo mundo comprando revólver aqui no país. Sabe o que a gente fala? 'Nos EUA, é toda hora'. Já são 26 ataques em escolas. Mas se coloca no lugar da mãe, do pai, que não tem mais o filho para abraçar, para beijar, para levar para escola. E você fica achando que o mundo é só o que você enxerga. E não tem a mínima consideração", declarou.

"Aí, a gente pega os caras da Cracolândia, e chuta. E não pega um cobertor para ajudar. A gente não ajuda o vizinho, o irmão, a mãe. A gente não perdoa o pai. [...] A gente precisa se humanizar. Vinte crianças morreram por causa de arma e a gente acha que tem que andar armado? Não! A gente precisa de água potável. Com cada arma, faz uma escola, com cada metralhadora, uma faculdade. Mas não precisa, né?", finalizou Neto.

UOL Esporte vê TV