PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Patrocinadores repudiam fala nazista no Flow e encerram vínculo

Do UOL, em São Paulo

08/02/2022 12h21Atualizada em 08/02/2022 17h42

Após a repercussão da fala nazista e antissemita do podcaster Monark, um dos apresentadores do Flow Podcast, patrocinadores do programa vieram a público esclarecer que repudiam o discurso e que não apoiam mais o programa financeiramente. No final da tarde, os estúdios Flow anunciaram que Monark foi "desligado dos Estúdios Flow" — segundo a GQ Brasil, o podcaster também deixará de ser sócio da empresa.

"Discordamos e repudiamos veementemente as declarações e ideias expressadas durante o último Flow Podcast, transmitido nesta segunda-feira. Elucidamos ainda que não somos patrocinadores do podcast, tendo feito no passado somente uma ação pontual e isolada", diz a nota oficial publicada pela Puma, marca esportiva que aparece no site do podcast como uma das patrocinadoras.

O esclarecimento se dá em meio à repercussão negativa da fala de Monark, que defendeu a existência de um partido nazista no Brasil —algo proibido até na Alemanha, onde esta ideologia perseguiu, prendeu e assassinou ao menos 5 milhões de pessoas. "O nazista deveria ter o partido nazista reconhecido pela lei", afirmou. "Se o cara quer ser 'anti-judeu', ele tem o direito de ser."

Na verdade, não tem. No Brasil, é crime "praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional", segundo o artigo 20 da Lei nº 7.716/89, que prevê até três anos de reclusão ao autor.

"Já havíamos pedido [ao Flow Podcast] para nosso logo ser retirado dos patrocinadores e reforçamos isso novamente", afirmou a marca no comunicado oficial.

Além da Puma, outras marcas esclareceram não patrocinar mais o podcast, como a Flash Benefícios, a Mondelez, detentora da marca Bis, o Ifood e o Ragazzo. A Ferj, federação de futebol do RJ, anunciou que o programa não poderá mais transmitir os jogos do Campeonato Carioca, como vinha fazendo na edição deste ano.

Zico, que ia participar hoje do Flow Sports Club, anunciou por intermédio do filho que não vai mais ao podcast. Já o apresentador Benjamin Back pediu para que o episódio no qual participou, no ano passado, fosse excluído das plataformas de podcast.

Após a repercussão negativa e a perda de patrocínio, Monark publicou um vídeo para se defender. Ele afirmou que estava bêbado durante o podcast e pediu desculpas pelas declarações. Não foi o suficiente. Em comunicado publicado nas redes sociais, a Flow afirmou quem em comprometimento com a democracia e os direitos humanos, retirou o episódio do ar e anunciou o desligamento de Monark dos Estúdios Flow.

Esporte