PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Flavio Gomes: "Hamilton será campeão. Momento é muito dele e da Mercedes"

Do UOL, em São Paulo

06/12/2021 04h00

Em uma das temporadas mais equilibradas de todos os tempos, Max Verstappen e Lewis Hamilton chegam à última corrida da temporada empatados em pontos. O GP dos Emirados Árabes, no domingo (12), definirá o campeão em um momento no qual o britânico está em alta por ter vencido as três últimas provas. O holandês, por outro lado, leva vantagem nos critérios de desempate: nove vitórias contra oito do piloto da Mercedes.

No Fim de Papo F1, live pós-corrida do UOL Esporte - com os jornalistas Fábio Seixas e Flavio Gomes - os comentaristas analisaram a eletrizante disputa pelo título mundial e apontaram se há algum favorito entre Hamilton e Verstappen para a última prova do ano.

"Para mim, o Hamilton será o campeão. Depois dessas três vitórias seguidas, o momento é muito dele e da Mercedes. A Red Bull está tentando não acusar o golpe, mas a Mercedes chegou na reta final do campeonato melhor, mais em forma, com todos os titulares e ninguém no departamento médico. Chegou para a decisão mais inteira do que a Red Bull", comentou Gomes, citando as vitórias de Hamilton nos GPs de São Paulo, Qatar e Arábia Saudita.

Para Seixas, a calma demonstrada pelo holandês ao falar da situação do campeonato encobre a sensação de que as coisas se complicaram para os lados da Red Bull. "O Verstappen mantém a calma no discurso dele, até para não sentir o golpe. Se a gente lembrar, no domingo em Interlagos, o Verstappen amanheceu 21 pontos à frente do Hamilton. Agora, os dois estão empatados. Tem essa coisa de o Verstappen não querer acusar o golpe, mas acho também que ele está sentindo a vaca ir para o brejo", disse o colunista do UOL.

Embora o circuito de Yas Marina tenha sofrido algumas modificações para permitir mais ultrapassagens, Gomes lembrou um episódio que ilustra como nada está definido na briga pelo título. "Aconteceu lá o clássico GP de 2010, que foi a decisão daquela temporada. O Alonso chegou a Abu Dhabi 14 pontos na frente do Vettel, empacou atrás do Vitaly Petrov, da Renault. O Alonso não passava de jeito nenhum e o Vettel ganhou aquele campeonato não tendo liderado em momento algum", contou.

Seixas vê a Red Bull em momento inferior ao da Mercedes neste momento, o que deixa Hamilton em melhores condições para a prova nos Emirados Árabes. "Ele não está disputando o campeonato com o Bottas ou com o Ocon. É com Hamilton, sete vezes campeão mundial. O cara está vindo, corrida após corrida, com um baita carro na mão. Tudo o que o Verstappen tentou hoje [ontem] na corrida, e isso explica a agressividade dele no momento em que os dois dividem curva, é por saber que, quando o Hamilton pula na frente dele, vai sumir. Foi o que aconteceu em Interlagos, no Qatar e hoje [ontem]. O Hamilton estava com a asa esbagaçada, cravou a volta mais rápida, sumiu na frente e venceu a prova", destacou.

A superioridade da Mercedes ficou evidente, na visão de Seixas, quando Hamilton conseguiu ultrapassar Verstappen em Jeddah mesmo com a asa dianteira de seu carro danificada e abrir vantagem para ganhar a corrida. "Mesmo que não houvesse punição, o Verstappen nunca ia chegar no Hamilton hoje [ontem]. Em ritmo de corrida, mano a mano, o Hamilton some na frente do Verstappen, e o Verstappen sabe disso", finalizou o colunista do UOL.

Não perca! A próxima edição do Fim de Papo F1 será em 12 de dezembro, após o GP dos Emirados Árabes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Fórmula 1