PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Estúdio de tatuagem revela qual jogador tem mais dor na hora de se tatuar

Malcom, ex-Corinthians, e Gabriel Verón, do Palmeiras, já se tatuaram no "Brothers Tattoo" - Reprodução
Malcom, ex-Corinthians, e Gabriel Verón, do Palmeiras, já se tatuaram no 'Brothers Tattoo' Imagem: Reprodução

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/11/2021 04h00

As tatuagens são quase uma unanimidade nos jogadores de futebol. Mesmo que um atleta ainda esteja nas categorias de base, ele já tem tatuagem ou sabe qual quer fazer em um futuro próximo.

Pensando nisso, o empresário Fábio Douglas de Oliveira convidou os irmãos Alex e Lau, tatuadores e fundadores da 'Brothers Tattoo', em 2013, em Rio Claro (interior de São Paulo), a fazer uma filial em São Paulo. Hoje, eles tem um estúdio de tatuagem — no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo — que um dos principais públicos-alvo são jogadores de futebol.

Em entrevista ao UOL Esporte, Fábio revelou que desde o início, a 'Brothers Tattoo' tinha o objetivo de tatuar um jogador. Isso se deve ao fato da repercussão que uma foto ao lado de um atleta pode causar nas redes sociais por conta do número de seguidores e alcance por defender as cores de um time.

"A gente queria muito tatuar um jogador, por causa do nosso amor pelo esporte e segundo por tudo que representa — questão de divulgação e exposição da marca. O primeiro foi o Thiaguinho - meio-campista do Corinthians - depois dele foi um atrás do outro", disse.

"Principalmente jogadores do Corinthians, já que o CT Joaquim Grava é próximo daqui. A gente foi tatuar o Gabriel Verón e o Danilo [ambos do Palmeiras], o Malcom [Zenit], o Gabriel Pereira [Corinthians], o Lucas Crispim [Fortaleza]", acrescentou.

Apesar de muitos jogadores estarem tatuados dos pés a cabeça, não são todos eles que conseguem aguentar naturalmente uma sessão de "agulhadas" na pele. De acordo com Fábio, há um jogador que dá muito trabalho aos tatuadores.

"O João Victor [zagueiro do Corinthians] é o que dá mais trabalho, a gente fala que ele só consegue tatuar 2 horas. A última tatuagem que ele fez foi segunda-feira passada, na coxa, ele pediu para parar porque não estava aguentando de dor, mesmo passando pomada anestésica não adianta nada", afirmou.

Muitos jogadores de futebol já apareceram no feed das redes sociais do estúdio de tatuagem. Questionado sobre os valores mais altos que os atletas já pagaram para eternizarem um momento na pele, Fábio falou que a 'Brothers Tattoo' cobra de apenas alguns atletas, a maioria é por permuta por conta da divulgação e novos clientes que eles atraem.

"A gente acabava tatuando mais pela parceria e credibilidade. Não tem nenhum valor astronômico que nós recebemos deles", relatou.

"É importante esse relacionamento porque dá uma boa visibilidade e não só por isso, é legal ser amigo desses caras. Eles nos tratam muito bem, vem tatuar para conversar e dar risada", concluiu.

Esporte