PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Borrachinha defende Bolsonaro na pandemia e explica luta de ressaca no UFC

Paulo Borrachinha, durante a pesagem do UFC 253 - Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images
Paulo Borrachinha, durante a pesagem do UFC 253 Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/10/2021 04h00

O lutador Paulo Borrachinha fará a luta principal do UFC Vegas 41, amanhã (23), contra o italiano Marvin Vettori. Originalmente ambos lutam na categoria médio (até 84,4 kgs), mas por problemas no corte de peso eles combinaram que a luta será realizada até 93 kgs, na divisão dos meios-pesados. Atualmente em 2º no ranking da categoria, o confronto é importante para o brasileiro, já que ele deseja uma revanche contra o campeão Israel Adesanya.

A única derrota de Borrachinha no UFC foi justamente contra Adesanya. No dia 26 de setembro do ano passado, no UFC 253, o nigeriano foi dominante e nocauteou o brasileiro no 2º round. Após o revés, Borrachinha afirmou que estava de ressaca na luta, já que no dia anterior ele havia bebido muito vinho para conseguir dormir.

Borrachinha Vinho - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Antes da derrota para Adesanya, Borrachinha revelou que bebia um pouco de vinho para conseguir dormir
Imagem: Arquivo pessoal

"Não falei pela repercussão, falei a verdade. Não foi uma brincadeira da minha parte, eu precisava dormir de alguma forma na noite anterior à luta e não podia tomar remédio. Tem que saber o seguinte, o atleta não pode tomar medicação, até suplementes são proibidos, o que consegui fazer foi beber o vinho e não funcionou tomar pouco, tomei muito e isso afetou a minha luta", disse Borrachinha em entrevista ao UOL Esporte.

A declaração sobre a ressaca não foi a única polêmica de Borrachinha fora do octógono. Recentemente ele comentou sobre a acusação de abuso que o ex-campeão mundial de boxe Oscar de la Hoya teria sofrido aos 13 anos, dizendo que é "o sonho de todo adolescente".

Fã de Bolsonaro

Outro fator que não transforma Paulo em uma unanimidade entre os fãs do mundo da luta são as publicações exaltando a política conservadora do Brasil e o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido). Durante a corrida eleitoral, o lutador sempre deixou claro que apoiava o ex-candidato do PSL. Questionado sobre alguma mudança de opinião após a gestão de Bolsonaro durante a pandemia de covid-19, Borrachinha disse que nunca esteve tão convicto da sua escolha.

Borrachinha Bolsonaro  - Arquivo pessoal  - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Depois de tudo que o Jair Bolsonaro fez desde que assumiu a presidência, eu estou ainda mais convicto que fiz a opção certa. Graças a Deus Jair Bolsonaro está no poder durante essa pandemia. Se fosse qualquer outro no lugar dele, nosso país já teria virado uma Argentina ou uma Venezuela", disse.

Além de Paulo Borrachinha, mais seis brasileiros lutam no UFC Vegas 41. O card preliminar começa a partir das 14h, e o principal às 17h (de Brasília).

MMA