PUBLICIDADE
Topo

Basquete

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Maria Victoria: Atuação monstruosa do Antetokoumpo no título dos Bucks

Do UOL, em São Paulo

21/07/2021 12h01

O grego Giannis Antetokoumpo anotou 50 pontos e foi decisivo no sexto jogo da final diante do Phoenix Suns, que fechou a série e deu o título da NBA ao Milwaukee Bucks depois de 50 anos, com placar de 105 a 98. Com seu desempenho em quadra, o camisa 34 foi eleito o MVP das finais.

Em sua participação no programa UOL News Esporte, com Marcelo Hazan, Maria Victoria Poli analisa o título conquistado pelos Bucks e destaca o nível de atuação que teve Antetokoumpo depois de ter se lesionado durante as finais de conferência, conseguindo ser decisivo em uma recuperação que impressionou.

"Antetokoumpo foi o nome do jogo, o MVP das finais, uma atuação monstruosa do grego, o Greek Freak, como ele é chamado. Com esse número de pontos absurdo, 50 pontos, 14 rebotes e cinco tocos. O jogo foi marcante, a atuação dele marcante, ainda mais depois de ele ter se lesionado, ele hiperextendeu o joelho, então teve esse 'comeback' e fez seis jogos incríveis nas finais", diz Maria Victoria.

"Também uma marca legal dele ontem foi que o Giannis Antetokoumpo tem uma média de 50% de lances livres e ontem ele acertou 17 dos 19 lances livres que ele arremessou, marca também fundamental para ter conquistado esse placar, para ter conquistado essa vitória e o título", completa.

A jornalista elogia também a participação defensiva do jogador grego e cita o fato de agora os três irmãos Antetokoumpo, que atuam na NBA, terem o título da principal liga do basquete mundial.

"Giannis foi fundamental tanto na defesa quanto no ataque, fazendo muita infiltração, presença de garrafão, foi muito bem e agora toda a família dos Antetokoumpo tem anéis da NBA, o Giannis e o Thanasis, que jogam no Milwaukee Bucks, e o Kostas, que ganhou o anel com o Lakers na temporada passada", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Basquete