PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Brasil vence Polônia e é campeão da Liga das Nações de Vôlei pela 1ª vez

Do UOL, em São Paulo

27/06/2021 12h24

O Brasil teve uma atuação de gala hoje (27) e venceu a Polônia de virada, por 3 sets a 1, para se tornar campeão da Liga das Nações de Vôlei. As parciais do jogo em Rimini, na Itália, foram de 22/25, 25/23, 25/16 e 25/14.

É o primeiro título brasileiro na Liga das Nações de Vôlei, a competição que substituiu a Liga Mundial da qual o País era o maior vencedor. Nas duas últimas edições do masculino, em 2018 e 2019, a seleção parou nas semis e ficou com o quarto lugar; já o feminino chegou a jogar a final na sexta-feira (25), mas perdeu para os Estados Unidos.

Wallace foi o principal pontuador da seleção brasileira e do jogo, com 22 pontos. Yoandy Leal e o polonês Bartosz Kurek fizeram 17. O Brasil fez mais pontos de ataque (54 a 44), de bloqueio (9 a 7), de serviço (6 a 3) e também por erros do adversário (28 a 24).

O jogo

Era o confronto entre a atual campeã olímpica e a campeã mundial, e a Polônia começou melhor. Demorou um pouco para a seleção brasileira conseguir neutralizar Kubiek e Leon, e o primeiro set foi dos poloneses. Daí em diante, o Brasil foi se ajustando à partida até que passou a dominar. Leal, Lucarelli e Wallace foram os destaques da final, com menção mais do que honrosa para Bruninho, que chamou a responsabilidade nos momentos mais tensos da partida e liderou a equipe.

Maurício Souza sobe para atacar bola na final da Liga das Nações de Vôlei entre Brasil e Polônia - Divulgação/FIVB - Divulgação/FIVB
Imagem: Divulgação/FIVB

Na fase de classificação, a seleção brasileira, que já está classificada para os Jogos Olímpicos de Tóquio, sofreu apenas duas derrotas: para França e Rússia. Na etapa final, o percurso teve vitórias sobre França, na semifinal, e hoje sobre a Polônia.

A caminhada do Brasil na Liga foi marcada por superação também fora das quadras. Ainda durante o período de treinos, o técnico Renan Dal Zotto contraiu covid-19 e passou mais de um mês internado. O treinador chegou a passar um período intubado, mas já está em casa se recuperando.

Sem o titular, Carlos Schwanke ficou encarregado de comandar o selecionado brasileiro durante a competição. Mesmo temporariamente "fora de combate", Renan manteve o contato com a equipe por meio da internet.

Vôlei