PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cartolouco diz que soube de demissão da Globo por repórter

Cartolouco em entrevista a Danilo Gentili - Vídeo/Reprodução
Cartolouco em entrevista a Danilo Gentili Imagem: Vídeo/Reprodução

Colaboração para o UOL

22/06/2021 02h21Atualizada em 22/06/2021 07h39

Lucas Strabko, o Cartolouco, revelou que ficou sabendo de sua demissão da Rede Globo, em 2020, por um repórter do UOL antes de receber a confirmação da emissora. Ele atribuiu o estopim para o desligamento a um vídeo postado nas redes sociais onde ironizava o desafio do papel higiênico, que viralizou em 2020.

"Eu tava de férias, meu chefe me ligou: 'reunião amanhã na Globo', falei 'eu vou'. Ai cheguei em casa, me liga o repórter: 'você foi demitido mesmo?'. E eu fiquei: "quê"?", contou Cartolouco em entrevista ao "The Noite" de hoje. O jornalista acrescentou ainda que ligou para o chefe pedindo uma confirmação, mas só a teve, de fato, na reunião no outro dia pela manhã.

Ele acredita, ainda, que a demissão foi uma junção de diversos fatores. "Foi tudo. Desde quando cheguei, achava que ia ser demitido todo dia. Ficava esperando. Aí chegou na derradeira", desabafou, referindo-se ao vídeo sobre o papel higiênico.

Ele contou também sobre outro episódio polêmico: a guerra de álcool gel que protagonizou. "Tava chovendo muito em SP, não ia ter Globo Esporte. Aí o pessoal que trabalhava no GE não tava fazendo nada, os cara começaram a fazer guerra de álcool gel. Aí olhei pro Cássio, meu parceiro que tava comigo na guerrinha e falei: 'Moleque, isso aqui é genial, vamos fazer ao vivo. Redação SporTV, ninguém assiste, dez da manhã".

O episódio, contudo, viralizou e rendeu uma bronca ao jornalista. "Chegou no meu chefe, e ele me jantou. Fiquei três horas, chorei. três horas por causa de uma guerra de álcool gel que durou dez segundos."

Trajetória na Globo e origem no apelido

Cartolouco contou a origem do seu apelido. "Comecei a fazer um quadro no GE.com sobre cartola, e eu odiava o Cartola, não gostava, não jogava. Meu chefe me perguntou se eu jogava Cartola, e eu falei 'po, sou fanático. Cartola minha vida, tudo pra mim, mais que a Luiza Ambiel'. Comecei a fazer o quadro. O quadro se chamava 'Cartoloucos', eu era conhecido como estagiário, e aí não sei como, mas pegou".

O ex-Fazenda comentou a respeito do início de sua trajetória na Globo. "2016 entrei como estagiário. Eu sou jornalista, fiz faculdade na Cásper, trabalhei em jornal antes, mas sempre tive vontade de trabalhar com televisão. E aí começou a acontecer. A galera vê o que eu faço e acha que é comédia, mas é jornalismo, é um jornalismo diferente", contou.

Gentili classificou a sua saída da emissora como "sacanagem", mas Cartolouco o retrucou. "Foi bom pra minha vida. Entrei lá muito cedo, 21 anos, fui o apresentador mais novo da história da SporTV. E eu causava muito, causava muito porque queria fazer coisa diferente. Inclusive tenho até uma briga com o Benjamin Back (atual comandante do Arena SBT)", finalizou.

Time do coração e Galvão

Uma das principais perguntas que sempre fazem a Cartolouco também foi feita por Danilo Gentili, mas, mais uma vez, ficou sem resposta: o time do coração do jornalista. Ele confirmou que torce pra um dos grandes de São Paulo, mas que não revela qual pois trabalha na área e tem medo das represálias. O apresentador tentou puxar mais de Lucas, perguntando se o Palmeiras tem mundial (e recebendo uma resposta afirmativa), mas não conseguiu uma confirmação.

Cartolouco comentou ainda de onde veio a ideia de zoar Galvão Bueno, durante participação no "Bem Amigos". Na ocasião, Cartolouco afirmou que iria abraçar o maior ídolo do programa, e ao ver Galvão estendendo os braços, passou direto e abraçou o goleiro Vanderlei. "Eu tinha visto o filme do Bozo, e o filme do Bozo falava que ninguém chuta a bunda dos grandes. E aí que tá a comédia, aí que tá o engraçado", contou, acrescentando: "Globo é Globo, tenho o máximo respeito".

O jornalista afirmou ainda que acredita que o narrador não gostou da brincadeira. "A cara dele de derrota, gol contra."

Entrada com Ronaldo Fenômeno e amizade com Adriano

Cartolouco também revelou a Danilo Gentili mais detalhes de quando entrou ao lado de Ronaldo Fenômeno, quando o craque jogava pelo Corinthians, em um jogo do Campeonato Paulista de 2009. "Eu tinha 14 anos. Eu falei 'pai, vou entrar com o Ronaldo no campo'. Ele falou que duvidava. Eu falei que era filho do Walmir Cruz, preparador físico, e o Walmir era amigo da minha tia. Aí desci a escada do Pacaembú, vi lá um monte de criança e falei 'Ah, vou ficar aqui'".

Ele continuou, contando que avisaram que as crianças que deviam entrar com os jogadores, deveriam seguir em frente. "Pensei, Ronaldo vai ser o último a entrar. Aí vejo Boquita, só os pés de rato. Ronaldo, o último. Tinha uma criança atrás de mim, aí falei 'vem pra cá'. E aí Ronaldo veio. Juro por Deus, Ronaldo me deu a mão. Peguei a mão do Ronaldo, a gente subiu a escada do Pacaembú e aí não lembro mais, deu um lapso".

Cartolouco relembrou ainda os tempos de amizade com Adriano Imperador. "Conheci um moleque que era amigo do Adriano. Eu tava no show do Barão Vermelho com meu pai, no Circo Voador no Rio, aí o moleque me ligou 'tô aqui na casa do Didico, vem pra cá'. Abandonei o show e fui. Casa do Adriano, po. Ele era vizinho da Anitta, da Bruna Marquezine. Cheguei lá, fui dormir no quarto de visita do Adriano. Moleque, eu acordei 11 da manhã. Aí desci as escadas, quem tava lá. Numa mesa de plástico, tomando uísque às 11 da manhã, jogando dominó: Adriano Imperador. Ele falou: 'po, faz dupla de dominó aqui comigo. Comecei a jogar dominó e peguei amizade com o Adriano".

O "The Noite" vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 00h45min, no SBT.

Futebol