PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Neto pede bom senso em relação à Copa América: 'Precisa agora?'

Neto, apresentador do Os Donos da Bola, da TV Band - Reprodução/TV Band
Neto, apresentador do Os Donos da Bola, da TV Band Imagem: Reprodução/TV Band

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/06/2021 14h05

O apresentador e comentarista Neto, da TV Band, voltou a se posicionar contra a realização da Copa América no Brasil. Para o ex-jogador, que destacou o sufoco para organizar as competições nacionais, falta bom senso a quem aceitou fazer a competição no país.

"Se a gente vai ter Copa América aqui… O Paulista já foi no sufoco, o Brasileiro está sendo no sufoco. Precisa ter bom senso. Precisa de Copa América nesse momento? Mas sem torcida, vamos ver como vai ser", disse Neto no Os Donos da Bola, da TV Band.

"Nós estamos em uma situação difícil, com 10% da segunda dose da vacina (aplicada na população). E quando você pega um país de 220 milhões, aí os bolsonaristas, os petistas, os do centro, isso não importa. Importa que tem gente morrendo. Aí, dizem que a gente é o quarto país no mundo em vacina. É mentira. Proporcionalmente a gente é o último. Não dá para comparar com Suíça, com Nova Zelândia, com Chile, com Equador, com Argentina. Aqui tem muito mais gente. Aqui, 80% não tomou a primeira dose da vacina", continuou o apresentador.

Neto destacou que gostaria que a competição fosse realizada no Brasil desde que o futebol estivesse organizado, assim como a distribuição das vacinas. O apresentador ainda criticou os seus colegas de TV Globo por entender que suas críticas direcionadas à Copa América não seriam feitas se a emissora tivesse os direitos de transmissão do torneio. Por fim, o ex-jogador cobrou posicionamento dos jornalistas do SBT, que deve exibir a competição.

"Aí, a gente não é contra a Copa a América aqui, mas (é) contra na situação que estamos vivendo. Tem hotel, logística e a Copa América começa dia 13. Hoje é dia 1. Em meia hora já se fala que tem a Copa América", disse Neto.

"Não sou contra o futebol, desde que estivesse organizado. A gente é o segundo país em morte no mundo, aí tem que ter Copa América aqui. Se tivesse Copa América na Band, eu falaria também. Eu poderia não falar nada. Do SBT, ninguém vai falar nada? A Globo está dando 'cacete', mas e se vocês fizessem? Sempre foi de vocês. Agora está todo mundo dando 'cacete'. O Caio, o Casagrande, o Cléber Machado, o Roger Flores, o Galvão iam falar se fosse da Globo? Não iam falar nem aqui nem na China", disparou.

Também presente na atração, o comentarista Velloso avaliou que é revoltante ver o governo atuar com agilidade para trazer uma competição internacional para o país quando a mesma velocidade não é vista em uma causa que é prioritária no momento, como a saúde.

"Eu acho que o grande problema é que temos que ter prioridades. Nesse momento, chegando perto da marca de 500 mil mortos, a prioridade é saúde. Quando o governo aprova rapidamente um torneio de futebol internacional e a gente percebe que ele não está dando a mesma importância para a saúde do povo, isso é revoltante. Para aprovar um torneio no Brasil, é tudo muito ágil, os ministérios funcionam. Agora, quando você tem que trazer uma vacina, aí não tem a mesma agilidade", disse Velloso.

"O futebol está acontecendo aqui e poderia ter Copa América também, mas como estamos nesse período crítico, que a gente vê os casos subindo, hospitais sobrecarregados, como a gente pode pensar em um torneio que a Argentina não quis, o Chile e a Colômbia não quiseram. Aí, o Brasil aceita em meia hora", completou.

UOL Esporte vê TV