PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Ferrari explica o que tirou Leclerc do GP de Mônaco

Charles Leclerc deixa o carro da Ferrari antes da largada para o GP de Mônaco - Reprodução/TV
Charles Leclerc deixa o carro da Ferrari antes da largada para o GP de Mônaco Imagem: Reprodução/TV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/05/2021 16h51

A Ferrari se pronunciou sobre a ausência de Charles Leclerc no GP de Mônaco. Segundo a escuderia, o problema que tirou o piloto da competição não está relacionado à transmissão.

De acordo com o engenheiro Mattia Binotto, todos ficaram decepcionados com o ocorrido e classificou o erro como uma 'falha', que impactou diretamente o detentor da pole position.

"Estou decepcionado com Charles, e devo esclarecer que houve uma falha que não está relacionada à transmissão. Se tivéssemos danificado a caixa de câmbio essa falha teria acontecido também, a caixa de câmbio não foi trocada mas não apostamos", começou por dizer o suíço, que completou:

"Não é uma falha da caixa de câmbio, vamos analisar para encontrar uma resposta. É do lado oposto do acidente. O problema apareceu na curva 6, não quando Charles saiu para garagem."

Binotto afirmou que a Ferrari trabalhará para entender como o erro passou despercebido nos treinos livres antes da corrida.

A classificação

A disputa da pole do último circuito da F1 teve uma quebra de tabu importante: depois de quase dois anos, a Ferrari voltou a marcar uma pole position na Fórmula 1 com o "dono da casa" Charles Leclerc. A curiosidade é que o mesmo Leclerc bateu no final do treino e, com isso, evitou que outros pilotos ameaçassem sua primeira posição.

A última vez em que a equipe italiana teve um de seus pilotos largando na frente foi no GP do México, em outubro de 2019, com o próprio monegasco. Max Verstappen (Red Bull) e Valteri Bottas (Mercedes) fecham o top 3 do grid de largada - Hamilton acabou apenas em 7°, sua pior classificação desde 2018.

Fórmula 1