PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rodrigo Caio diz que bateu pênalti 'tranquilo' e manda recado para Luan

Rodrigo Caio manda recado para Luan, do Palmeiras, após Supercopa - Reprodução/ESPN
Rodrigo Caio manda recado para Luan, do Palmeiras, após Supercopa Imagem: Reprodução/ESPN

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/04/2021 15h01

Responsável por garantir o bicampeonato da Supercopa do Brasil para o Flamengo, Rodrigo Caio afirmou que foi para a sua cobrança de pênalti "muito tranquilo e preparado".

Em entrevista ao "Bate-Bola Debate", o zagueiro detalhou a escolha da batida da penalidade contra Weverton, do Palmeiras. Após empate em 2 a 2 no tempo regulamentar, o Flamengo faturou o título ao bater a equipe paulista nos pênaltis por 6 a 5.

"Eu não sou muito acostumado a bater pênaltis. No momento que rodaram todos os nossos batedores, ficou eu, o Arão e o Diego Alves. Quando o Michael foi para a cobrança, eu disse que bateria a cobrança seguinte. Eu me senti muito tranquilo e preparado naquele momento", iniciou o zagueiro rubro-negro.

"Agora, na hora que você chega e olha para um goleiro do nível do Weverton, você fala: 'tenho que bater muito bem, senão ele vai pegar'. Eu tava vendo que estava indo muito na cruzada, e a minha batida é a cruzada. No meu pensamento, eu iria bater no meio. Ia dar uma pancada forte no meio do gol. Quando eu cheguei e olhei pro Weverton, eu tive uma convicção muito grande que ele ficaria no meio. Então só sobrou o outro lado para mim", completou Rodrigo Caio.

Companheiro de Luan na conquista do ouro olímpico em 2016, o defensor do Fla aproveitou para mandar uma mensagem ao atleta do Palmeiras. Luan foi criticado por falhar no primeiro gol do Flamengo e também por perder o pênalti.

"O Luan é um amigo que eu tenho no futebol. É um cara sensacional como pessoa, e acredito que um grande zagueiro. Não é por acaso que ele está no Palmeiras e foi campeão olímpico. Momentos difíceis todos nós passamos, em todas as profissões, mas no futebol a gente é cobrado diariamente, e chega um momento que é muito complicado, porque a gente precisa segurar uma barra muito grande. Eu passei por isso no São Paulo e sei muito bem é o que", falou Rodrigo Caio.

"A mensagem que eu deixo para ele é que ele continue trabalhando. Nós somos profissionais. Ele é um cara que entrega ao máximo. Muitas vezes as coisas não dão certo, a gente é cobrado por isso, mas o mais importante é a gente acordar todos os dias com muita força, com muita garra para que a gente possa trabalhar e corrigir os detalhes. Tenho certeza que ele vai dar a volta por cima", seguiu.

Futebol