PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Triatleta morre de covid no PR; marido lamenta: 'estamos sem acreditar'

Fábio Torrecillas era triatleta e morreu de covid-19 - Arquivo Pessoal
Fábio Torrecillas era triatleta e morreu de covid-19 Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

21/03/2021 17h18Atualizada em 22/03/2021 13h27

O triatleta Fábio Torrecillas, de 40 anos, morreu ontem no Hospital Paraná, em Maringá, a 425 quilômetros de Curitiba. Ele passou dez dias intubado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) após testar positivo para o novo coronavírus. O sepultamento aconteceu no início da tarde de hoje.

De acordo com a família, Fábio teve o diagnóstico confirmado para covid-19 em 2 de março. Em apenas cinco dias após o teste, o triatleta teve 75% dos pulmões comprometidos pela infecção e precisou de internação. A intubação ocorreu em 11 de março.

"Ele positivou em uma terça-feira e precisou ir ao médico no sábado da mesma semana. Cinco dias depois foi para UTI ser intubado, indo a óbito ontem. O Fábio sentia muito cansaço e na primeira tomografia já apontou 75% dos pulmões tomados pela infecção", disse o marido dele, o empresário Adilson Saldino Batista, de 55 anos. O casal estava junto há 20 anos.

Fábio era praticante do triatlo, esporte de alta intensidade que reúne ciclismo, natação e maratona.

Fábio Torrecillas, de 40 anos, completou Ironman Brasil - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Fábio Torrecillas, de 40 anos, morreu com covid-19
Imagem: Arquivo Pessoal

Participante das três últimas edições do Ironman Brasil — o maior circuito de triatlo da América Latina —, o esportista se preparava para a Travessia do Leme ao Pontal, no Rio de Janeiro, com percurso de 34 quilômetros, no primeiro semestre deste ano. Em razão da prática de atividade cardiorrespiratória, a agressividade da infecção surpreendeu os familiares.

"Isso surpreendeu a gente porque era muito preparado, fazendo três vezes o Ironman, competindo em outras provas de natação com mais de 20 quilômetros em mar aberto, além de ter feito mais de mil quilômetros de ciclismo em competições na Itália. Então isso deixa todo mundo boquiaberto. Estamos sem acreditar até agora", comentou.

O triatleta foi enterrado na cidade onde a família mora, em Mandaguari. A perda da luta contra a covid-19 gerou comoção de amigos e simpatizantes do esportista nas redes sociais.

"Ele serviu de muita inspiração. Tem gente que, se hoje está nadando e pedalando na região, é por incentivo dele. O Fábio foi um exemplo de vida como pessoa e como atleta, buscando sempre superar os próprios limites", concluiu o viúvo, que pretende montar uma fundação esportiva como nome do triatleta para incentivar a prática esportiva, em Maringá.

Esporte