PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Sormani reclama de música uruguaia em celebração no vestiário do Fla

Jogadores do Flamengo no vestiário do Mané Garrincha após vitória sobre o Palmeiras - Alexandre Vidal/Flamengo
Jogadores do Flamengo no vestiário do Mané Garrincha após vitória sobre o Palmeiras Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/01/2021 16h10

Após a vitória sobre o Palmeiras por 2 a 0, ontem, pelo Campeonato Brasileiro, os jogadores do Flamengo fizeram muita festa no vestiário do estádio Mané Garrincha, inclusive com música uruguaia - nacionalidade de Arrascaeta, um dos principais nome do time.

A escolha musical não agradou o comentarista Fabio Sormani, dos canais Disney, que reclamou do fato de eles não terem escolhido uma canção brasileira. O jornalista teceu um comentário cheio de ironia para dizer que o elenco rubro-negro poderia ter escolhido um tema nacional para celebrar a vitória.

"É uma música uruguaia que diz: 'se nos organizamos, não tem para ninguém'", disse Celso Unzelte, explicando a origem da música cantada pelos jogadores.

"O cancioneiro popular brasileiro não tem música para relatar esse tipo de coisa, né?", ironizou Sormani.

"O Arrascaeta está feliz. Ele chegou comemorando e os caras foram no embalo", justificou Bruno Vicari.

"A nossa música é pobre. Não produzimos muita coisa ao longo dos tempos: Bossa Nova, MPB, Chorinho, tem pouca coisa. Nós precisamos mesmo buscar alguma coisa no Uruguai ou na Argentina para comemorar. Vou falar um negócio para você: se você confrontar nossa música com qualquer música da América Latina - à exceção de Cuba -, não dá para comparar. Música brasileira, cubana e americana são os maiores acervos de música do planeta. (...) É mais fácil recorrer a outras músicas que ouvir a nossa música, ir atrás das nossas raízes, riquíssimas", insistiu Fabio Sormani.

Celso Unzelte, então, rebateu as críticas de Sormani e defendeu que a música escolhida pelos jogadores, independente da origem, é muito significativa para o atual momento do time.

"Mas essa frase: 'se nos organizamos, não tem para ninguém' é tudo o que o Flamengo quer: se reorganizar e mostrar que tem potencial. Isso é muito significativo. Aí junta a rivalidade com o Palmeiras, a situação no campeonato e tudo o que o grupo está querendo no ano, que é mostrar, é significativo", finalizou o comentarista.

Situação no Brasileirão

Com a vitória, o Flamengo subiu uma posição no Brasileirão e agora, com 55 pontos, é o terceiro colocado. O time rubro-negro tem um jogo a menos que o Inter, líder da competição com 59 pontos.

UOL Esporte vê TV