PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Globo reforça plano com narradora e mira Brasileirão Feminino em 2021

Renata Silveira: primeira mulher narradora de futebol na Globo - João Cotta/Globo
Renata Silveira: primeira mulher narradora de futebol na Globo Imagem: João Cotta/Globo

Gabriel Vaquer

Do UOL, em Aracaju

08/12/2020 04h00

A contratação de Renata Silveira como narradora para 2021 é o fim do primeiro passo que a Globo planejava para ter eventos nacionais do futebol feminino. Desde agosto, a emissora reforçou o seu núcleo com a contratação de mais mulheres para o vídeo, como a comentarista Renata Mendonça e a ex-árbitra Nadine Basttos. Tudo foi seguido à risca com a chegada de uma voz feminina para janeiro de 2021. Agora, o objetivo é negociar e tentar comprar os direitos do Campeonato Brasileiro Feminino.

Como já havia informado em agosto o UOL Esporte, a ideia era ter uma equipe 100% para transmissões a partir do ano que vem. O esquema da Globo é que essa equipe feminina faça partidas da Seleção Feminina de futebol e que atue em alguns jogos do Campeonato Brasileiro. Os nomes foram contratados aos poucos para que os seus rostos fiquem conhecidos do público inicialmente e para que as telespectadoras femininas se sintam representadas em jogos do Brasileirão masculino nesse primeiro momento.

Se tudo der certo, na próxima Copa do Mundo feminina, em 2023, a Globo pretende exibir jogos da Seleção Brasileira com uma equipe totalmente composta por mulheres. O nome de Renata Silveira era o que mais agradava, não só pelo seu crescimento no Grupo Disney, mas também por que ela é uma cria da casa: Renata foi a primeira mulher do Grupo Globo, em 2014, a narrar um jogo de Copa do Mundo - naquela ocasião, transmitindo pela Rádio Globo.

No futebol nacional, a Globo projeta desde o ano passado adquirir jogos do Brasileirão Feminino. A ideia era que os jogos femininos ocupassem o horário das manhãs de domingo no lugar da Fórmula 1, que não teria seu contrato de transmissão renovado. Mas, após mudanças repentinas, a Globo já negocia com a Liberty Media, dona da categoria, a extensão deste acordo com a categoria de automobilismo. Mesmo com isso, a emissora segue interessada e estuda um novo horário para exibição do futebol feminino em TV aberta.

O plano da Globo é adquirir os direitos do Brasileirão feminino e mostrar um jogo por rodada na TV aberta em um horário mais acessível, enquanto outros seriam mostrados na TV por assinatura e até mesmo no Premiere, seu serviço de pay-per-view. Na final ocorrida no último domingo e vencida pelo Corinthians, Band e ESPN Brasil exibiram a finalíssima pela TV - Twitter e Rádio CBN foram outras empresas de comunicação que fizeram o jogo.

Outro ponto é que o grupo de comunicação acha que pode ajudar na profissionalização do produto no Brasil. Internamente, profissionais mulheres da emissora pedem que a competição seja olhada com carinho, para cativar um novo público. Também atiçando a curiosidade de seu telespectador, a Globo passou a cobrir o dia a dia dos times envolvidos na liga nacional, com reportagens em programas como "Esporte Espetacular" e "Globo Esporte".

A entrada no Brasileirão feminino também ajudaria bastante no pacote publicitário de futebol da Globo, em desfalque pela perda do Campeonato Carioca e da Libertadores em 2021. Porém, a emissora ainda não fez uma proposta concreta e segue apenas monitorando a situação. Internamente, o fato é visto como uma questão de tempo para acontecer, assim como uma chegada de uma narradora.

UOL Esporte vê TV