PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Globo irá à Justiça contra Athletico após venda de PPV com MP do Mandante

Wellington disputa bola com Lucas Silva, durante a partida entre Athletico e Grêmio - Gabriel Machado/AGIF
Wellington disputa bola com Lucas Silva, durante a partida entre Athletico e Grêmio Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

27/10/2020 12h26

A Globo confirmou nesta terça-feira (27) que adotará "medidas cabíveis" contra o Athletico Paranaense e a empresa Livemode, em razão do negócio de venda de pay-per-view que fez o clube para continuar transmitindo em plataforma própria os jogos do Brasileiro, mesmo com o fim da MP do Mandante, que dá o direito de transmissão de uma partida ao time local.

Esta será a segunda batalha jurídica da Globo contra o clube do Paraná em apenas quatro meses. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, a área de comunicação da emissora carioca confirmou a reação na Justiça, em uma nota breve: "A Globo vai tomar as medidas cabíveis para preservar seus direitos".

A medida vai acontecer após o Athletico exibir, na plataforma Furacão Live, a derrota contra o Grêmio por 2 a 1 no último domingo (25). O argumento que o clube usa é o mesmo proferido pela emissora carioca enquanto a MP 984 ficou em vigor, entre junho e a última semana de outubro.

O Athletico argumenta que vendeu os direitos de pay-per-view para a Livemode até 2024 enquanto a MP do Mandante estava em vigor. O clube manifesta que, como fez o acordo durante uma antiga lei vigente, o contrato tem validade. Com a não aprovação da MP do Mandante no Congresso Nacional, e a continuidade da Lei Pelé, um jogo só pode ser transmitido se os dois clubes concordarem com isso - ou seja, venderem os direitos para a mesma empresa.

Citando apenas o jogo do último domingo, o Grêmio tem contrato em TV aberta, TV por assinatura e pay-per-view com o Grupo Globo, o que a princípio deveria tornar a transmissão ilegal.

O clube paranaense anunciou a iniciativa por volta das 15h nas redes sociais, cerca de três horas antes do início da partida. O Athletico começou a vender pacotes para o público e prometeu que mostraria o confronto com imagens ao vivo, mesmo sem acordo com o Grêmio.

Ao UOL Esporte, Beto Carvalho, executivo de marketing do Grêmio, afirmou que o clube gaúcho não foi informado sobre a transmissão e que levou equipe completa da rádio do clube, acreditando que o jogo seria "cego" - ou seja, sem TV.

Desde o último dia 16 de outubro, a MP 984, que dava ao clube mandante o direito de transmissão de uma partida de futebol, não tem mais validade. O Athletico tem uma liminar favorável para transmissão em pay-per-view, obtida quando a MP ainda estava em vigor, mas na teoria ela não tem mais valor.

Para sócios do Athletico e torcedores localizados no estado do Paraná, o pacote foi vendido por R$ 24,90. Também foi possível assinar o serviço de outros lugares do país, pagando R$ 34,90. Além de partidas ao vivo, o Furacão Live promete também cobertura pré e pós-jogo. Os direitos foram comprados pela Livemode, empresa que presta serviços ao Athletico desde o ano passado. Não foi possível saber quanto a Livemode pagou ao Athletico pela exibição dos jogos.

Este é o segundo processo que a Globo fará contra o Athletico. Na Justiça, durante a MP do Mandante, a emissora tentou impedir que o clube usasse a legislação em vigor para vender pacotes em pay-per-view. Após algumas liminares, o Athletico conseguiu uma decisão final.

UOL Esporte vê TV