PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Galvão vê contradição no Palmeiras e desaprova técnico espanhol

Galvão durante o programa "Bem, Amigos", do Sportv - Reprodução/Sportv
Galvão durante o programa "Bem, Amigos", do Sportv Imagem: Reprodução/Sportv

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/10/2020 23h25

Galvão Bueno mostrou estar em descordo com a possível contratação do treinador Miguel Ángel Ramírez pelo Palmeiras. Na pauta do 'Bem, Amigos', o narrador criticou o presidente do time alviverde, Maurício Galiotte, e apontou uma contradição no discurso da coletiva de imprensa, que informou a queda de Vanderlei Luxemburgo do comando do clube na última semana.

"O presidente do Palmeiras entrou em conflito. Primeiro, falou: 'Temos que reconhecer a importância dele [Luxemburgo] com a renovação'. Isso pelo trabalho com a categoria base, que trouxe Patrick [de Paula], Gabriel Menino, Gabriel Veron, e tantos outros. Depois, ele disse assim: 'Mas, ao mesmo tempo, sou obrigado a reconhecer que fizemos uma escolha errada, então, agora, o Palmeiras vai buscar jogar de acordo com suas origens'. O que quer dizer jogar de acordo com suas origens? Cheguei até a pensar que iam chamar o Felipão de volta", disse Galvão durante o programa do Sportv.

"Não sei que milagre pode vir a fazer este espanhol", acrescentou referindo-se ao atual treinador do Independiente Del Valle, do Equador, que negocia com o Palmeiras.

Na sequência, Galvão também criticou a atual "cultura" do futebol brasileiro de troca-troca constante de técnicos dos comandos dos clubes.

"O problema é que não dá tempo de fazer trabalho nenhum. Sabe quanto tempo o treinador do [time] lanterna da Série B ficou no cargo? Acertou quem falou 20 dias. O time não ganhava há oito jogos. O treinador ficou quatro [partidas] no comando e foi mandado embora. O problema é essa cultura que está toda errada. Mandam embora, não estão nem aí", concluiu o narrador.

UOL Esporte vê TV