PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

PPV do Athletico sofre no 1º dia, mas entrega serviço digno de elogios

Jogadores do Athletico comemoram gol contra o Goiás - GISELE PIMENTA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jogadores do Athletico comemoram gol contra o Goiás Imagem: GISELE PIMENTA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

13/08/2020 04h00

Ao conseguir uma liminar cerca de 30 minutos antes de acontecer da partida de ontem (12), o Athletico-PR obteve a tão sonhada transmissão de suas partidas no Brasileirão com no pay-per-view próprio. Com a decisão judicial, o clube exibiu na quarta-feira a vitória por 2 a 1 contra o Goiás no Furacão Play e causou a estreia da MP 984, que dá ao mandante o direito de exibição de um jogo na TV.

Mas não foi uma noite perfeita, longe disso. Por causa da última hora, o Athletico teve que reiniciar os seus sistemas internos que permitiam a entrada de novos sócios na plataforma, segundo afirmou o público. Com isso, muita gente não conseguiu assistir ao primeiro tempo do jogo no sistema, inclusive a reportagem do UOL Esporte, que tentava ter a experiência.

Depois de 45 minutos tentando entrar no site e obter a imagem, no intervalo do jogo o Furacão Play começou a funcionar normalmente. E quando funcionou, é possível dizer que foi só elogios. A imagem não travou em nenhum momento e o padrão de transmissão foi o mesmo de jogos exibidos em outros veículos, como a própria Globo.

Uma boa novidade tecnológica foi a tela de stand-by. Nela, o assinante poderia ver o jogo colocando uma pequena janela na sua tela enquanto trabalha normalmente em outras atividades. O Premiere Play, streaming do serviço de pay-per-view da Globo, não tem essa comodidade boa para quem trabalha e não poderia ficar 100% ligado no jogo.

A ideia de ter uma narração clubista e outra neutra, para torcedores do Goiás, foi bem executava. Enquanto o narrador Anderson Luiz, que já trabalhava no Athletico, falava com os torcedores, Gabriel Carriconde comandava a alternativa - que era tão boa quanto. Para TVs de clubes, a ideia é inédita e válida.

Talvez o único asterisco seja o valor. O Athletico promete, caso a Justiça não barre de novo ou dê uma decisão para a Globo, exibir os 19 jogos em casa no Brasileirão 2020/2021. Pagar R$ 24,90 por isso é um pouco alto demais. E se oferecer o jogo avulso para o cliente, o preço precisa ser mais em conta para quem não é athleticano.

Mas a primeira impressão é a melhor que se poderia ter para algo que foi feito em cima da hora. A despeito da disputa judicial, que vai acabar tornando o Brasileirão 2020 mais caro para o telespectador, o Athletico-PR entregou um bom serviço tecnicamente. Só precisa de ajustes finos.

UOL Esporte vê TV