PUBLICIDADE
Topo

José Roberto Guimarães: "Esporte e Cultura deveriam ser ministérios"

Do UOL, em São Paulo

26/05/2020 16h24

O técnico José Roberto Guimarães, campeão olímpico no comando da seleção masculina de vôlei em Barcelona-1992 e da seleção feminina em Pequim-2008 e Londres-2012, é o terceiro entrevistado do programa Os Canalhas e critica no programa a decisão de o Governo Federal ter acabado com os ministérios do Esporte e da Cultura, que viraram secretarias na gestão de Jair Bolsonaro (sem partido).

Na entrevista aos jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, o técnico fala sobre a dificuldade financeira no esporte brasileiro, revela que coloca dinheiro do bolso para a manutenção das categorias de base de seu time e cobra uma maior atenção governamental do esporte, alegando que não se pode cobrar apenas das confederações.

"Geograficamente, o Brasil é muito grande e isso acaba complicando o nosso esporte de uma maneira geral, isso não acontece só no vôlei, isso acontece em todos os esportes. Lógico que tudo poderia ser melhorado, mas a gente tem problemas, eu tenho problema hoje no patrocínio do meu time, eu ponho dinheiro do meu bolso nas categorias de base, eu tenho gente que me ajuda, mas tem muita coisa hoje acontecendo que pouca gente sabe, das dificuldades que nós atravessamos", diz Guimarães (disponível no vídeo acima a partir de 33:06).

"Hoje nós temos um problema econômico acontecendo no Brasil. Uma coisa que eu não concordo é a gente ter perdido o Esporte como ministério. O Esporte não pode ser secretaria, a Cultura não pode ser secretaria, tem que ser ministério. A gente precisa dar esse passo, a gente precisa de dinheiro, o esporte precisa de dinheiro e não é a CBV só que tem que fazer o trabalho, isso também é governo", completa o treinador.

No comando da seleção brasileira feminina de vôlei desde 2003 e também técnico do Hinode Barueri, ele afirma que o Brasil está muito abaixo de outros países e é preciso investir no esporte também como um meio de oportunidade, educação e disciplina.

"A gente precisa de um passo muito maior. O esporte educa, o esporte faz muito pelo nosso povo. A gente precisa entender que o esporte não é só ir lá e botar garotada na quadra, não é só parte social, isso aí é muito maior, é encaminhar o jovem para uma vida melhor, para dar oportunidade a ele de ser alguém, de ele escolher o que fazer da vida dele, mas é disciplina, é educação, é a escolha, é sonho, a gente não pode tratar o esporte de qualquer maneira, não", diz Guimarães.

"Acho que a gente precisa dar um salto de qualidade, não adianta a gente só culpar fulano, ciclano, beltrano, tem muita coisa a ser feita. Por isso a pergunta do João, aquela coisa do 'nós estamos muito abaixo de Estados Unidos e de outros países' e como é que a gente consegue ganhar desses caras? João, é porque nós somos malucos mesmo no nosso trabalho e a gente se dedica muito, se não, não tinha condição de ganhar de ninguém", completa.

Na entrevista para o programa Os Canalhas, José Roberto Guimarães também fala sobre seu futuro na seleção brasileira, a preparação das jogadoras para os Jogos Olímpicos de Tóquio, a tentativa de volta do esporte em meio à pandemia do novo coronavírus, o posicionamento a respeito do Dossiê Vôlei e a experiência do técnico como gestor no futebol, com passagem pelo Corinthians no final dos anos 90.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, em transmissão ao vivo, ou gravado, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.