PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Futebol ao vivo volta com ajustes na Fox, Benja narrador e ESPN "perfeita"

Narrador Rogério Vaughan (acima) e comentatista Gerd Wenzel (abaixo) comandaram a boa transmissão da ESPN na volta da Bundesliga - Reprodução
Narrador Rogério Vaughan (acima) e comentatista Gerd Wenzel (abaixo) comandaram a boa transmissão da ESPN na volta da Bundesliga Imagem: Reprodução

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

16/05/2020 14h09

Depois de praticamente 60 dias sem futebol, a TV brasileira retornou neste sábado (16) as transmissões ao vivo graças ao retorno do Campeonato Alemão. Com equipes totalmente de casa, ESPN e Fox Sports transmitiram os jogos Borussia Dortmund x Schalke 04 (Fox Sports), Augsburg x Wolfsburg (Fox Sports 2) e RB Leipzig x Freiburg (ESPN Brasil). E, notoriamente, havia diferenças bem claras entre as transmissões, mesmo com os canais agora pertencendo ao mesmo grupo. Na ESPN, a transmissão praticamente não teve problemas. No Fox Sports, quedas de sinal e Benjamin Back dando uma de narrador marcaram a transmissão.

Logo no início da jornada, em todos os canais, um texto foi lido e, de antemão, a própria Disney pediu desculpas por eventuais problemas técnicos, já que todos estavam de casa para a segurança dos profissionais. Mas mesmo de suas residências e, na teoria, contando com a mesma consultoria técnica, ESPN e Fox Sports fizeram transmissões bem distintas com diferenças claras.

Na ESPN, a aposta foi na dupla oficial do futebol alemão: Rogério Vaughan e o experiente Gerd Wenzel. Já o Fox Sports misturou um pouco mais. Em Borussia x Schalke, Nivaldo Prieto, o principal narrador da casa, foi escolhido. Os comentários ficaram com Oswaldo Paschoal e Carlos Simon. No Fox Sports 2, Silva Jr narrou, com comentários de Fábio Azevedo e Nadine Bastos.

Emoção em retorno marca narração de Vaughan

Nesta primeira transmissão de futebol após o início da pandemia do Covid-19, a ESPN parecia mais preparada tecnicamente para exibir o Alemão. O narrador Rogério Vaughan parecia estar nos estúdios normais da ESPN, tamanha a qualidade técnica de seu áudio. Gerd Wenzel também tinha um áudio de boa qualidade. Em ambos os casos, a transmissão não falhou em nenhum momento. Aliás, talvez por serem colegas de longa data na Bundesliga, Vaughan e Wenzel estavam com uma sintonia melhor na relação narrador/comentarista.

No Fox Sports, a dificuldade técnica foi notoriamente maior. O áudio de Nivaldo Prieto estourava em alguns momentos, e teve seu auge no gol, com Prieto em tom acima, quase sem citação à pandemia. Também em diversos momentos, as falas dos comentaristas Osvaldo Paschoal e Carlos Simon não saiam por falhas da internet ou porque o microfone usado não era o ideal. Até por ser a primeira transmissão feita de casa pelo canal, o Fox Sports parecia ainda entender o que estava fazendo.

Os maiores problemas técnicos aconteceram na Fox. Por duas vezes (aos 35 e aos 42 minutos do segundo tempo), em Borussia x Schalke 04, a voz de Nivaldo Prieto caiu e coube ao apresentador Benjamin Back assumir a transmissão. Oswaldo Paschoal, que estava nos comentários, ajudou a enrolar enquanto o narrador resolvia seus problemas. Na primeira queda, Prieto retornou com felicidade: "Tô de volta! Caí, mas estou aqui de novo!". Na segunda vez, não deu tempo: coube a Benja ter que encerrar a partida. Já Carlos Simon entrou poucas vezes no jogo, mas acabou não sendo citado desde os 25 minutos do segundo tempo por seu sinal acabou caindo.

Outro problema do gênero aconteceu na transmissão de Augsburg x Wolfsburg, no Fox Sports 2. No início do segundo tempo, o narrador Silva Jr. acabou caindo por mais de quatro minutos. O comentarista Fábio Azevedo teve que assumir a narração por algum tempo e segurar as pontas com Nadine Bastos.

A diferença entre os dois canais pode ser explicada. Na ESPN Brasil, houve a solicitação do canal para que os comentaristas usassem o famoso headset, um fone de ouvido com um microfone de alta qualidade acoplado. Na Fox, fones de celular normais foram usados. É uma diferença que, aos ouvidos do telespectador, ficou bastante notório e fez bastante diferença. A imagem da ESPN também estava melhor e com qualidade normal, com a impressão de que o Fox Sports exibia o jogo diretamente de uma plataforma de streaming.

Falando em telespectador, o público realmente estava sentindo falta do futebol. Dos dez temas mais comentados do Twitter, nove envolviam o futebol alemão. E a impressão foi a mesma: ESPN com um apuro técnico muito maior, com Rogério Vaughan muito emocionado e com Gerd Wenzel mais preparado do que nunca.

Mas a Fox teve suas qualidades. Enquanto a ESPN manteve um esquema de transmissão normal, o Fox Sports escalou Benjamin Back para comandar um pré-jogo e show do intervalo, com o ex-zagueiro Bordon, ídolo do Schalke 04, falando suas impressões sobre a partida entre Borussia e Schalke. Faltou um pouco disso na ESPN e foi algo que deu muito certo no Fox Sports.

Fox Sports cita ESPN pela primeira vez após fusão

Outro ponto positivo é que coube a Nivaldo Prieto fazer a primeira citação nominal da ESPN no Fox Sports, depois da aprovação da fusão das duas empresas no Brasil, ocorrida há dez dias. Prieto disse que as empresas estavam "acompanhando de perto o retorno dos principais campeonatos de futebol para planejar a melhor cobertura pra você, fã de esporte, na ESPN e no Fox Sports". Definitivamente, as duas são uma só.

Mas o principal fato foi a emoção de Rogério Vaughan. Em todo o momento, o narrador estava claramente emocionado em fazer parte de um momento histórico. No primeiro gol da partida, feito pelo Freiburg, Vaughan fez um discurso emocionante onde dizia que o gol "era uma vitória da humanidade contra um inimigo invisível". De fato, Vaughan tinha razão. O retorno do futebol é uma grande vitória. Ele estava fazendo muita falta.

Futebol