PUBLICIDADE
Topo

Confinado, francês corre uma maratona (42 km) na varanda do apartamento

Elisha Nochomovitz, atleta francês, correu uma maratona na varanda por causa do coronavírus - Arquivo pessoal
Elisha Nochomovitz, atleta francês, correu uma maratona na varanda por causa do coronavírus Imagem: Arquivo pessoal

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

28/03/2020 04h00

Enquanto um terço da população mundial está em quarentena, especula-se quais efeitos esse isolamento causará na mentalidade das pessoas. E eles podem ser inesperados.

O corredor Elisha Nochomovitz se preparava para a maratona de Barcelona neste mês, mas no meio do caminho apareceu o coronavírus. E então veio a quarentena e a necessidade de todos os franceses ficarem em casa para tentar conter o avanço do vírus que já infectou 520 mil pessoas e levou 23 mil delas à morte.

Confinado em seu apartamento em um subúrbio de Toulouse, no sul da França, o habitué de provas de longa distância (já foram 36 maratonas ao longo da carreira) resolveu que nada deteria sua vontade de correr. Aos 32 anos, ele transformou a varanda de seu apartamento (7 metros de comprimento por 1 de largura) no menor trajeto para uma maratona da história do esporte.

Lá Elisha completou os 42 km da prova em 6 horas e 48 minutos. Teve ajuda da namorada, que lhe oferecia durante a prova morangos e refrigerante. Tudo registrado em fotos e vídeos postados em tempo real nas redes sociais do atleta. O trajeto foi monitorado por seu relógio digital, dotado de um aparelho GPS.

"O mais difícil foi ficar indo e voltando na varanda, porque sete metros não é o ideal para o meu tamanho e velocidade que costumo fazer", afirmou ao UOL Esporte o francês, ainda em quarentena, direto seu apartamento em Toulouse.

Ele afirma que, com seu gesto, quer mostrar às pessoas que é possível praticar esportes em casa. E homenagear os profissionais de saúde que estão na linha de frente o combate ao vírus. Ele diz concordar com quem o considera um louco.

"Louco é a melhor palavra pra me descrever. Estou fazendo coisas loucas há 15 anos. Minha primeira corrida foi uma maratona em 2009, já andei 200 km de bicicleta pra ir à praia, ano passado participei de dez maratonas e corri sete delas em dois meses", relata, empolgado, o atleta. Ele tem apresentado seu gesto solitário como uma forma de alertar pessoas no mundo inteiro sobre a necessidade de ficar em casa nesses tempos de pandemia.

Durante a prova, além do apoio presencial da namorada, Elisha recebeu diversas mensagens online de amigos surpresos e confiantes em sua capacidade de chegar até o fim. "Desde o começo da corrida recebi um monte de mensagens de apoio e encorajamento dos meus amigos, me ajudando a terminar a corrida."

E embora os poucos passantes na rua tenham estranhado ver um homem correndo de um lado ao outro da varanda, os vizinhos, segundo Elisha, não se importaram. Nem sua namorada.

"Quando eu disse que queria correr uma maratona na varanda, ela falou apenas: 'Faça o que você quiser, mas limpe a varanda depois!'"

Isso ele diz que fez.

Esporte