PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Qual o plano da Globo para acalmar patrocinadores do futebol durante parada

Eder Traskini/UOL
Imagem: Eder Traskini/UOL

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

20/03/2020 04h00

A suspensão de campeonatos estaduais por tempo indeterminado e uma possível readaptação do calendário brasileiro estão preocupando as seis marcas que patrocinam as transmissões de futebol da Globo neste ano. A emissora carioca teve que agir para tranquilizar os seus parceiros em relação a esse tema.

Segundo apurou o UOL Esporte, os patrocinadores temem que a entrega comercial prometida seja prejudicada, já que, caso ocorra o cancelamento de jogos de estaduais, os números de partidas prometidas pela Globo na venda do pacote comercial diminui também. E comprar esses pacotes de patrocínio custa caro.

Neste ano, a Globo vendeu cada cota de patrocínio pelo valor de R$ 307 milhões - ao todo, foram seis marcas, com a emissora faturando um total de R$ 1,8 bilhão. No pacote, foram prometidas 85 transmissões de futebol, contando estaduais, Campeonato Brasileiro, Libertadores da América entre outros eventos.

Ao todo, são seis empresas parceiras da Globo: Ambev, Casas Bahia, Chevrolet, Hypera Pharma, Itaú e Vivo. Todas elas renovaram o patrocínio de 2019 para 2020, quando pagaram até mais caro pelo patrocínio do futebol - na ocasião, cada cota foi comercializada por R$ 310 milhões pela Globo.

Caso não entregue os 85 jogos, a Globo garantiu aos seus patrocinadores que dará uma compensação financeira baseada no valor de cota que cada empresa pagou para anunciar nas transmissões. Mas o canal pede cautela para todas as empresas.

O canal acredita que todo o planejamento comercial prometido será entregue, até porque não existe previsão de cancelamento total de torneios, e sim de suspensão, enquanto a pandemia do Covid-19 está ocorrendo no Brasil. A expectativa da Globo é que os torneios voltem e o número prometido seja cumprido.

O pensamento da Globo é parecido com o que a emissora entende que acontecerá com o Premiere. A empresa entende que o consumidor e assinante do pay-per-view não será prejudicado no valor da assinatura porque os campeonatos irão voltar. No entanto, o Procon afirmou ao UOL Esporte que o assinante pode cancelar o pay-per-view sem custo se assim desejar.

UOL Esporte vê TV