PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Simone Biles critica federação dos EUA por proposta sobre casos de abuso

A ginasta Simone Biles também brilhou com um uniforme repleto de estrelas - Emmanuel DUNAND/AFP
A ginasta Simone Biles também brilhou com um uniforme repleto de estrelas Imagem: Emmanuel DUNAND/AFP

Do UOL, em São Paulo

02/03/2020 11h39

A ginasta Simone Biles criticou uma proposta apresentada pela USA Gymnastics (Federação de Ginástica dos EUA) para encerrar as ações envolvendo as denúncias de abuso sexual feitas por atletas contra o ex-médico da seleção americana, Larry Nassar, já condenado.

Em um tuíte no último sábado, Simone se disse "enojada" com a tentativa da federação de isentar outras pessoas do caso.

"Ugh no aeroporto. Indo para o treino do time. Ainda querendo respostas da USAG e USOPC. Desejando que AMBAS queiram uma investigação independente assim como os sobreviventes e eu queremos. Ansiedade alta. Difícil não pensar sobre tudo o que EU NÃO QUERIA PENSAR", postou a ginasta.

Em uma proposta recente, a USA Gymnastics queria liberar as autoridades olímpicas dos EUA, o ex-presidente de ginástica dos EUA, Steve Penny, os ex-treinadores Martha e Bela Karolyi e outros da responsabilidade do caso. Além disso, a USA Gymnastics encerraria a apuração sobre quem estava ciente e se alguém ocultou os abusos praticados por Nassar, algo que é questionado pelas vítimas desde o incío da denúncia.

Biles continuou o post: "E ELES não querem saber ainda COMO tudo isso teve permissão para acontecer e QUEM deixou isso acontecer para que isso NÃO ACONTEÇA DE NOVO? As pessoas não deveriam ser responsabilizadas? Quem eu questiono??? Estou arrasada a essa altura...".

Os posts rapidamente ganharam curtidas e apoio dos seguidores da ginasta. Rachel Denhollander, ex-ginasta e primeira a acusar publicamente Nassar de abuso, em agosto de 2016.

"Estou com você Simone. Seu caráter e coragem está à frente dos líderes de cada organização. Patrocinadores dessas organizações precisam saber que a pior coisa que pode acontecer para os sobreviventes, atletas e a próxima geração, é manter esses órgãos funcionando", postou ela.

Esporte