PUBLICIDADE
Topo

Pan 2019

Entre correr 100m abaixo de 10 segundos e ouro, brasileiro prefere o ouro

Brasileiro Paulo André (dir) vence sua série semifinal dos 100m rasos pelo Pan de Lima - Luis ACOSTA / AFP
Brasileiro Paulo André (dir) vence sua série semifinal dos 100m rasos pelo Pan de Lima Imagem: Luis ACOSTA / AFP

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Lima (Peru)

07/08/2019 04h00

Nas últimas três edições dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil só teve dois representantes em finais dos 100m rasos. E nenhum deles chegou ao pódio. São 20 anos sem medalha na prova mais nobre do atletismo e esse tabu tem tudo para cair hoje (7), quando Paulo André Camilo e Rodrigo do Nascimento disputam a final no Pan de Lima. Os dois passaram pelas semifinais com os dois melhores tempos.

É verdade que Jamaica e Estados Unidos não mandaram ao Peru seus melhores velocistas. E que as semifinais foram lentas. Rodrigo foi o mais rápido, com 10s27, soltando bastante na final, seguido por Paulo André, com 10s29. Maior astro da prova, o norte-americano Michael Rodgers foi outro que relaxou nos últimos metros e também marcou 10s29.

Para efeito de comparação, no Pan de Toronto-2015, essas marcas não seriam suficientes nem para classificar das eliminatórias para as semifinais - na capital peruana a prova já começa com semifinais. Seja pela onda de frio que atinge Lima ou pela fragilidade dos rivais, o mais importante na final desta quarta-feira, às 18h52, é ganhar o ouro. A meta de baixar os dez segundos, que cerca cada vez mais os brasileiros, pode ficar para depois.

"Entre um e outro, fico com ouro e os dez segundos. O recorde eu bato outra hora, não tem problema", diz Paulo André Camilo, que está cada vez mais perto do feito. Nesta temporada, ele já fez 10s02, 10s04, 10s07 e duas vezes 10s09.

O brasileiro, que este mês completa 21 anos, não reclama da pressão colocada sobre seus ombros. "Tem que colocar pressão mesmo. Sou movido a desafios. Eu levo isso pelo lado positivo, isso me motiva cada vez mais. Deixou de ser sonho e virou realidade, não só para mim, mas toda essa safra que está vindo."

Paulo André confia realmente que a sub-10 vai sair uma hora ou outra. "É achar um dia bom e espero que seja amanhã (hoje). Eu me sinto pronto, mas é do dia mesmo. Isso não é desculpa não. Todo dia que entro na pista, entro para bater. Melhorando minha marca eu consigo bater. Se melhorar de 10s02 já está no 9s99."