Topo

Calderano supera 'chinês', é bicampeão do Pan e completa desafio com mortal

Hugo Calderano comemora vitória da final do tênis de mesa do Pan - Jonne Roriz/COB
Hugo Calderano comemora vitória da final do tênis de mesa do Pan Imagem: Jonne Roriz/COB

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Lima

07/08/2019 22h12

Hugo Calderano encarou dois desafios nesta quarta-feira (7) em Lima. O primeiro, vencer o surpreendente dominicano Jiaji Wu, um chinês naturalizado que deu muito mais trabalho que o esperado, por 4 sets a 3 (parciais de 11/8, 6/11, 8/11, 11/7, 8/11, 11/8 e 11/2), e faturar o título de simples do tênis de mesa. O outro, festejar com um salto mortal para trás.

"Eu aprendi a fazer o back flip faz mais de um ano. Foi um desafio que eu me propus; dar um mortal para trás. Um desafio físico, mas um pouco mental também. Então não tinha um jeito melhor de comemorar essa vitória", explicou ele, depois de conquistar o bicampeonato do Pan em simples e a quarta medalha de ouro pan-americana da carreira - a quinta pode vir por equipes. O título também dá ao carioca uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

O outro desafio foi vencer Wu. Nascido na China, país que tem os melhores mesa-tenistas do mundo, ele foi naturalizado mesmo sem morar na República Dominicana ou sequer falar espanhol. No ranking mundial, não está nem entre os 500 melhores do mundo. Seu desempenho no Pan surpreendeu o brasileiro.

Jonne Roriz/COB
Imagem: Jonne Roriz/COB

"Eu conhecia um pouco o jogo dele, mas nunca tinha visto de perto. Tenho que dizer que ele jogou muito melhor do que ele joga na liga (francesa). Ele não jogou no nível de 600 do mundo, mas de 10 do mundo. Ele é um jogador muito forte tecnicamente e tenho que dizer que agora ele é também forte mentalmente. Acho que a chave do jogo foi a parte mental. Ele estava dominando a partida no início, mas eu consegui sempre achar soluções e no final consegui crescer durante a partida", avaliou Calderano.

Ontem, ele havia se juntado a Gustavo Tsuboi para vencer o torneio de duplas. Tsuboi, inclusive, foi eliminado por Wu pelas oitavas de final do individual. Calderano é o primeiro do ranking mundial não-asiático - à sua frente, apenas quatro chineses e um japonês.