PUBLICIDADE
Topo

Pan 2019

Calderano e Tsuboi sofrem, mas conquistam 1º ouro no tênis de mesa em Lima

Hugo Calderano Gustavo Tsuboi venceram uma dupla argentina na decisão das duplas - Alexandre Loureiro/COB
Hugo Calderano Gustavo Tsuboi venceram uma dupla argentina na decisão das duplas Imagem: Alexandre Loureiro/COB

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Lima (Peru)

06/08/2019 23h36

O Brasil conquistou sua primeira medalha de ouro no tênis de mesa dos Jogos Pan-Americanos. Favoritos, Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi tiveram problemas contra os argentinos Gaston Alto e Horácio Fuentes, mas venceram a final de duplas masculinas por 4 sets a 2. Agora o tênis de mesa brasileiro tem uma medalha de cada cor em Lima, e ainda briga por mais quatro ouros.

O jogo foi mais disputado do que deveria para a dupla brasileira, que tem muito mais rodagem internacional. Os brasileiros venceram o primeiro set por 11 a 6. No segundo, a dupla do Brasil se recuperou depois de estar perdendo por 10 a 4 mas perdeu para os argentinos por 14 a 12. A partida continuou equilibrada. Os argentinos venceram o terceiro set e os brasileiros, o quarto e o quinto.

No sexto set, que acabou sendo decisivo, as duas duplas trocaram pontos até 8 a 8. Os brasileiros abriram 10 a 8, mas não conseguiram fechar no saque de Calderano. Os argentinos chegaram a 10 a 10, mas Calderano, melhor do jogo, matou em 12 a 10.

"Foi muito bom ganhar esse primeiro ouro para o Brasil. A gente jogou bem toda a final. Sabíamos que não seria fácil. Os argentinos lutaram muito até o fim. Conseguimos jogar um pouco melhor nos pontos importantes. Foi tudo decidido no detalhe", disse Calerano. "O estilo deles é de bastante de rali. Eles estavam neutralizando nossos ataques. Eles estavam lutando muito por algo que poderia ser inédito para eles", completou Tsuboi.

A medalha é a terceira de ouro da carreira de Calderano, que venceu em simples e por equipes em Toronto-2015. Ele é o grande astro do tênis de mesa nas Américas, atual sexto colocado no ranking mundial, posição nunca alcançada por um atleta do continente. Já Tsuboi, de 34 anos, está no seu quarto Pan e chegou ao quarto ouro - e a sete medalhas no total.

As provas de duplas não fazem parte do programa dos Jogos Olímpicos - apenas como parte da competição por equipes - e foram incluídas no programa do Pan em Lima, algo que não acontecia desde Santo Domingo-2003. Como Calderano e Tsuboi foram finalistas de simples em Toronto-2015 e ajudaram o Brasil a ganhar por equipes, o natural seria eles serem apontados como favoritos no Peru.

Nas outras competições de duplas, porém, o Brasil também era favorito e desapontou. Entre as mulheres, Bruna Takahashi e Jessica Yamada perderam na semifinal para as irmãs Adriana e Melaine Diaz, de Porto Rico, que acabaram campeãs. O tênis de mesa não tem disputa pelo bronze.

Já nas duplas mistas Bruna e Gustavo foram superados por Eugene Wang e Zhang Mo, do Candá, e ficaram com a prata. Tsuboi saiu reclamando de cansaço. A final aconteceu logo depois da semifinal de duplas masculinas. No fim das contas, porém, as três novas provas de duplas renderam um ouro, uma prata e um bronze ao Brasil.

Em simples, o Brasil já vai pior do que em 2015. No masculino, só Calderano está na semifinal - ele joga com Wang nesta quarta às 15h e, se passar, faz final mais tarde. No feminino, Bruna reencontra Adriana Diaz, sua rival desde a infância, por uma vaga na final. O jogo é às 13h. Os dois vão ganhar as únicas medalhas do Brasil em simples, porque Gustavo e Jessica já estão eliminados. Em Toronto os homens ganharam ouro, prata e bronze (o regulamento permita a inscrição de três atletas) e as mulheres prata e bronze.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no segundo parágrafo desta notícia, a dupla brasileira venceu o primeiro set e perdeu o segundo para os argentinos. Anteriormente, era informado o contrário. O erro foi corrigido.