PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Pelada" entre amigos recomenda exames prévios para evitar risco de infarto

 Marco Antonio Teixeira/ UOL
Imagem: Marco Antonio Teixeira/ UOL

Beatriz Cesarini e Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

27/03/2019 17h00

O ataque no coração sofrido pelo jornalista Rafael Henzel durante uma partida de futebol entre amigos levantou a questão sobre as precauções a se tomar antes da prática da atividade física. Sobrevivente do acidente aéreo da Chapecoense, ele morreu aos 45 anos vítima de um infarto.

Em contato com o UOL Esporte, o médico João Silveira, cardiologista do Hospital Sírio Libanês, afirmou que apesar de a idade não ser um fator de risco, um infarto costuma ser mais comum entre homens acima de 40 anos e mulheres acima de 55. Henzel estava nesse grupo etário.

"Os fatores de risco são: vida sedentária, tabagismo, hipertensão, cintura abdominal aumentada, colesterol alto, triglicérides alto, diabetes, alteração na tireoide. Esses sim são fatores de risco. Esses pacientes têm uma chance aumentada de ter um desfecho, que é a apresentação da doença. Cada vez mais é necessário fazer uma avaliação para evitar correr esses riscos", explicou.

Apesar dos riscos, a atividade física, incluindo o futebol com os amigos, segue sendo recomendado para evitar problemas no coração. Antes de iniciar a prática esportiva, contudo, uma avaliação completa é necessária.

"É muito importante fazer os exames físicos, primeiro o que examina as medidas, pressão etc, depois o de imagem, que é um eletrocardiograma, um raio-X no tórax. É necessário que esses exames sejam um pouco mais específicos para quem joga a 'pelada'. Então, sugiro a todo paciente que faz essa atividade física faça um ecocardiograma do coração", completou.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, por meio do site "Cardiômetro", mais de 90 mil pessoas já morreram neste ano no Brasil por causa de doenças cardiovasculares. A entidade estima que até o final do ano, 400 mil pessoas morrerão por doenças do coração e da circulação.

"Cada dia mais, as pessoas estão tendo doença, principalmente as doenças do coração. Até as crianças que ficam nesses videogames, que tem muita tensão, muita emoção. Cada dia mais cedo é necessário passar no médico, fazer uma avaliação física, clínica e colher alguns exames. Já oriento os pacientes com 20 anos a passar no médico e fazer sua primeira avaliação, um check-up", prossegue João Silveira.

Futebol