PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Saltadora Ingrid Oliveira é 1ª atleta a contar seu lado no "Minha História"

Marcus Steinmeyer/UOL
Imagem: Marcus Steinmeyer/UOL

Do UOL, em São Paulo

25/02/2019 04h00

"Eu fui detonada pelo mundo inteiro. Eu fui assediada. Recebi pornografia. Recebi proposta para fazer programa - sexual, não de televisão. Eu perdi trabalhos. Fui atacada por jornais do mundo inteiro".

"Criaram uma história e repostaram, repostaram e repostaram. Colocaram rótulos, espalharam mentiras, escreveram histórias que não vivi. Tudo porque eu sou uma mulher que faz sexo. Chegou a vez de eu contar quem eu sou e o que vivi".

É assim que Ingrid Oliveira, que representou o Brasil nos saltos ornamentais nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, inicia um longo relato sobre o que ela viveu naquela Olimpíada - e a repercussão de tudo isso em sua vida atualmente.

Em um texto em primeira pessoa, ela mostra o seu lado no episódio que a tornou conhecida mundialmente: ela levou um homem para o seu quarto na Vila Olímpica, a imprensa descobriu e ela foi atacada por todos.

O texto de Ingrid é o primeiro capítulo de "Minha História", a nova série do UOL Esporte em que os próprios atletas vão contar, em suas palavras, fatos que marcaram suas vidas e suas carreiras.

"Minha História" terá publicações regulares até os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, e contará com relatos de atletas como Esquiva Falcão (medalhista de prata do boxe), Cristiane (medalhista de prata no futebol), Verônica Hipólito (vice-campeã paraolímpica) e Tiago Splitter (ex-jogador da NBA).

Esporte