PUBLICIDADE
Topo

Vídeos

MPF pede explicações sobre deficit R$ 132 milhões na Olimpíada do Rio

Nacho Doce/Reuters
Imagem: Nacho Doce/Reuters

Do UOL, em São Paulo

21/08/2017 15h50

O braço do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro que cuida de assuntos referentes à Olimpíada de 2016 enviou um ofício para o Ministério do Esporte e ao Comitê Rio-2016 para saber sobre recursos públicos usados ou que podem vir a serem usados para cobrir um deficit de R$ 132 milhões dos Jogos Olímpicos.

Segundo nota oficial do MPF, expediu-se um ofício para acompanhar, ainda de forma preventiva, como o governo na época dos Jogos agiu com relação ao repasse de verba pública para cobrir “eventuais deficits operacionais” por conta de uma lei que autorizava a destinação de verba pública para isso. A lei foi revogada antes da Rio-2016.

A nota ainda ressalta que “para o procurador da República Leandro Mitidieri, membro do GT (Grupo de Trabalho Olimpíadas 2016 do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro) Olimpíadas e autor do ofício, “há uma pressão internacional para que esse deficit seja arcado pelo governo brasileiro, mas não há autorização legal para mais destinação de dinheiro público para os jogos".

Em março, o blog do Rodrigo Mattos mostrou que na época o Comitê Rio-2016 devia R$ 90 milhões e buscava ajuda do COI. “O Comitê Rio-2016 pretende quitar seus compromissos por meio de pagamentos a serem feitos pelo COI previstos para depois dos Jogos. Mas a organização ainda negocia um aporte extra do organismo internacional para completar o valor das pendências. Assim, não teria de recorrer às garantias públicas dadas pelos governos municipal, estadual e federal”, publicou na época.