Topo

Tênis


Tênis

Canadense de 19 anos que venceu o US Open usou cheque falso como motivação

Clive Brunskill/Getty Images/AFP
Imagem: Clive Brunskill/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

08/09/2019 17h15

Há três anos, Bianca Andreescu escreveu o seu nome e um valor milionário em um cheque falso. Parece estranho, mas isso serviu de motivação para que a tenista canadense de 19 anos alcançasse o ponto alto de sua ainda breve carreira até agora: vencer o Aberto dos Estados Unidos superando a americana Serena Williams por 2 sets a 0 na decisão.

Tudo começou em 2015, quando Andreescu venceu o Orange Bowl - tradicional torneio juvenil de tênis. Foi a partir daí que a tenista se deu conta que poderia obter feitos grandes no esporte. Ela, então, criou o cheque falso com o valor equivalente ao prêmio do US Open para motivá-la, ano após ano, a atingir esse objetivo.

"Depois de vencer o Orange Bowl em 2015, alguns meses depois, senti que poderia fazer grandes coisas nesse esporte. Então, eu apenas peguei um cheque e escrevi o prêmio em dinheiro [do US Open] daquele ano. Todo ano eu atualizava, porque o prêmio continuava mudando", contou a tenista à CNN após a vitória nos EUA.

"Eu apenas sonhava com esse momento desde aquele dia. Ser campeã de verdade agora é uma loucura", acrescentou.

O título no último sábado rendeu a Bianca Andreescu um cheque (agora, de verdade) de cerca de 3,8 milhões de dólares (pouco mais de R$ 15 milhões). Além disso, ela se tornou a primeira mulher canadense a vencer um Grand Slam na Era Aberta (a partir de 1968).

"Desde pequena, sempre quis ganhar um Grand Slam e, espero, ganhar muito mais por vir, tornar-se a número 1 do mundo, criar história e ser uma inspiração para muitas pessoas", disse a tenista.

O Aberto dos EUA foi o terceiro título de Andreescu em 2019. Antes, ela havia vencido o torneio de Indian Wells e a Rogers Cup - esse último curiosamente também em cima de Serena Williams, que acabou abandonando a partida por conta de uma lesão.