PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Em áudio, vereador diz que vai agredir skatista e pegá-lo "na garganta"

Camilo Cristófaro (PSB) elegeu-se vereador de São Paulo com o discurso contra a "indústria da multa" - Karime Xavier/Folhapress
Camilo Cristófaro (PSB) elegeu-se vereador de São Paulo com o discurso contra a "indústria da multa" Imagem: Karime Xavier/Folhapress

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

18/06/2020 17h51

Em um áudio mandado pelo Whatsapp, o vereador Camilo Cristófaro (PSB), de São Paulo, ofende e diz que vai agredir o skatista amador e tatuador Alexandre "Cuca" Bellizia. O motivo seria uma suposta dívida pendente entre os dois.

"Não deixa eu te encontrar, não, porque comigo bandido, maconheiro, marginal apanha. Você é vagabundo", afirma o vereador em áudio obtido pela reportagem e depois publicado no Facebook de Cuca. "Eu vou te pegar e arrancar os R$ 3 mil que você me deve na sua garganta, pra você aprender a ser homem."

O skatista afirmou que pretende registrar um boletim de ocorrência contra o vereador.

Procurado pela reportagem, o Cristófaro afirmou que Cuca é "um vigarista", que "tomou 3.500 reais meus + 2 mil em material de pintura e fugiu." Instado a dar mais detalhes, o vereador não respondeu mais.

Skatista - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Skatista amador e tatuador profissional Alexandre "Cuca" de São Paulo
Imagem: Arquivo pessoal

A briga entre os dois começou em 2018, quando Cristófaro se envolveu no projeto de revitalização de uma área próxima ao Parque da Independência, no bairro do Ipiranga, zona sul de São Paulo. Conhecido na comunidade de skatistas da região, Cuca afirma que se aproximou do vereador para formatar um projeto para a construção de uma pista de skate no terreno.

"Cresci no Ipiranga e sempre andei de skate. Tenho 50 anos e desde que eu tenho uns 20 já se cogitava fazer uma pista de skate ali. O Camilo me convidou pra fazer a ponte entre ele e a galera do skate", conta Cuca.

Como também é grafiteiro, o skatista foi contratado pelo vereador para pintar um muro no parque. "Ele me deu R$ 3 mil para fazer o serviço, comprei as tintas e paguei os pintores, mas quando estava no meio do trabalho, a administração do parque me disse pra parar porque a Prefeitura não tinha autorizado a pintura", afirma ele.

Cobrado a ressarcir o vereador, Cuca afirmou que não poderia fazê-lo porque o dinheiro já havia sido gasto. O caso aconteceu em 2018. Desde então, o skatista afirma ter perdido o contato com o vereador.

Na tarde de hoje, foi surpreendido com o áudio de Cristófaro. Pela manhã, o parlamentar conseguiu uma vitória judicial ao ter anulada a cassação de seu mandato, que era sustentado por uma liminar.

O fato foi mencionado pelo vereador no áudio enviado a Cuca, cuja transcrição completa é a seguinte:

"... um presentinho pra você, vigarista. Depois devolve os R$ 3 mil que você tomou de mim, vigário. Não deixa eu te encontrar, não, porque comigo bandido, maconheiro, marginal apanha. Você é vagabundo. Supremo Tribunal Federal: 7 a 0 pro Camilo Cristófaro [o julgamento, na verdade, foi no TSE]. Eu vou te pegar e vou arrancar os R$ 3 mil que você me deve na garganta, pra você aprender a ser homem, seu vagabundo. Faz minha propaganda nas páginas que você participa, que as páginas que você participa têm três seguidores. Sensacional! Maconheiro!"

Em contato com o UOL Esporte, o vereador não quis dar sua versão sobre a origem do desentendimento com Cuca. Ele não atendeu as ligações e não respondeu mensagens de áudio.

O Parque da Independência foi palco de outra briga de Cristófaro com seu colega de Câmara, o vereador George Hato (PMDB). Em 2018, o vereador foi filmado dando um empurrão em Hato, que participava de uma limpeza no local.

Hato, que tem ascendência japonesa, também recebeu áudios de Cristófaro hoje, após a anulação da cassação do mandato. "Chupa que a cana é doce, japa!", diz Cristófaro em um deles.

Esporte