UOL Esporte - Pan 2007
UOL BUSCA

07/03/2007 - 15h26

Em dia de overdose de Pan, Lula justifica gastos

Bruno Doro
No Rio de Janeiro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta quarta-feira de vários eventos relacionados ao Pan do Rio de Janeiro, com destaque para a assinatura da Medida Provisória que libera mais R$ 100 milhões para os Jogos. O anúncio da liberação havia sido feito na última quinta-feira.

Reuters
Presidente cabeceia bola depois de liberar mais verbas para o Pan, no Maracanã
GASTO PÚBLICO COM O PAN AUMENTA
ESPECIAL SOBRE A HISTÓRIA DO PAN
VEJA O PRESIDENTE NO MARACANÃ
Pela manhã, na comemoração do Dia Internacional da Mulher na Cidade do Samba, no centro do Rio, Lula lançou a "Campanha de Prevenção das DST/Aids nos Jogos Pan-Americanos Rio 2007", que prevê a entrega de um kit com preservativos para cada atleta antes do início da competição.

Depois, o presidente chegou de helicóptero ao estádio do Maracanã, onde, ao lado do governador Sérgio Cabral, autorizou o repasse da verba do governo federal para a finalização das obras do complexo esportivo do Maracanã.

A nova entrada de recursos foi fruto da pressão do governo do Estado, que alegou não ter verba para finalizar o projeto. O custo da reforma chegará a R$ 394 milhões, dos quais R$ 232 milhões vêm de verba do Estado e o restante de repasses do Governo Federal. O valor é maior do que a principal obra do Pan-Americano, o do Estádio João Havelange, que está sendo construído por R$ 380 milhões.

"Quando o Pan sair daqui, ao contrário de muita maledicência que eu já vi e já li, o Rio de Janeiro vai ganhar um patrimônio extraordinário, porque ninguém vai poder carregar as obras nas costas, as obras vão ficar. E é preciso saber como utilizá-las para os clubes que praticam os esportes aqui, e ao mesmo tempo, como a comunidade pode utilizar a Vila Olímpica para o cotidiano da vida desse povo", afirmou o presidente.

Em seu discurso, Lula destacou ainda a importância do evento para estimular os jovens e afastá-los do crime. "Os Jogos Pan-Americanos podem servir não apenas para que os nossos atletas ganhem medalha, é importante que ganhem, mas a gente não pode ver o esporte apenas como uma questão de medalha, a medalha é conseqüência. Nós temos que ver o esporte no País como uma das possibilidades de a gente ganhar os nossos adolescentes do narcotráfico e do crime organizado."

"Não existe instrumento, além de uma boa educação e da possibilidade de emprego, do que a prática do esporte para você convencer o jovem e a jovem de que existe um outro espaço a ser ocupado por todos nós", acrescentou.

Após assinar a medida provisória no meio do gramado do Maracanã, Lula cobrou três pênaltis, com o governador Sérgio Cabral no gol. Marcou dois gols.