PUBLICIDADE
Topo

Alison dos Santos: Agradeço ao esporte pela pessoa que me fez ser

Do UOL, em São Paulo

04/08/2021 14h02

Alison dos Santos conquistou a medalha de bronze nos 400m com barreiras dos Jogos Olímpicos de Tóquio em prova que foi uma das mais fortes da história do atletismo, com quebra de recorde mundial pelo vencedor norueguês Karsten Warholm, além de recorde sul-americano para o brasileiro, que ressaltou o amor pelo esporte depois do maior resultado da carreira.

Piu, como é conhecido o atleta, disse em entrevista exclusiva para Domitila Becker, no UOL News Olimpíadas, que só tem a agradecer pelo que o esporte já proporcionou em sua vida, além de comentar a importância da professora Ana Fidelis, que o levou para os 400m com barreiras.

"[Ana Fidelis] é a mulher que me trouxe para os 400m com barreiras, eu tenho muito a agradecer ela, que ela não só como atleta mas como pessoa ela me ajudou muito", conta Piu sobre a treinadora.

"O esporte é um lugar que tem espaço para todos, a gente abraça todo mundo que chega, a gente faz todo mundo se sentir melhor no ambiente, sabe? E entender que todo mundo é especial, ninguém é melhor do que ninguém por nada, somos todos iguais, o atletismo me ensinou muito isso de respeito, de compreensão, de amor, de compaixão, muitas coisas assim, eu só tenho a agradecer ao esporte por tudo isso o que me proporcionou, pela pessoa que o esporte me fez ser", completa.

O atleta também cita a importância da prova, que está sendo comentada no mundo esportivo pelo alto nível apresentado pelos atletas, além de explicar a origem do mantra 'xavecar o momento', que ele utilizou depois da conquista do bronze.

"Essa prova foi histórica, está sendo comentada por todos os cantos do mundo. Para o Brasil isso é muito importante e hoje o Brasil tem um atleta brigando para colocar o nome do país no maior lugar do pódio, fazendo história, e eu estou muito contente", afirma Piu.

"Tem que xavecar o momento, tem que aproveitar, que a gente lançou esse xavecar o momento na Polônia, depois do Campeonato Mundial de revezamento, onde a gente escutou uma música, o povo da Espanha estava escutando, falava 'xaveca o momento', a gente achou muito engraçado e começou a usar. Hoje é um lema, a gente já usa isso sempre para levar as coisas com leveza, para ser tranquilo, não deixar a pressão, a cobrança, essas coisas caírem nas nossas costas como um peso, mas como eu falei ontem, para ser motivacional, não tem pessoas se apoiando nas minhas costas, tem pessoas me puxando para ser melhor, para a frente", conclui.