PUBLICIDADE
Topo

Luisa Stefani e Laura Pigossi: Jogamos todos os jogos com o coração

Do UOL, em São Paulo

31/07/2021 13h46

Laura Pigossi e Luisa Stefani conseguiram um feito inédito nos Jogos Olímpicos de Tóquio com a medalha de bronze conquistada nas duplas femininas tênis, enfrentando do outro lado a dupla que tinha uma das campeãs olímpicas, a russa Elena Vesnina, para levar o Brasil pela primeira vez ao pódio da modalidade e vindo de uma condição na qual entraram de última hora na lista de classificadas, não sendo favoritas em nenhum jogo da campanha.

Em entrevista a Domitila Becker para o programa UOL News Olimpíadas, Laura e Luísa destacaram a vontade que levaram à quadra durante toda a campanha e contaram a emoção da medalha inédita para o tênis brasileiro.

"Acho que a gente jogou com o coração em todos os jogos, muita garra, recebendo muita energia positiva de todos vocês e a gente não poderia ter feito sem o apoio, sem tudo isso", afirma Laura Pigossi.

Durante a campanha até a medalha de bronze, as brasileiras precisaram virar três partidas contra duplas que eram favoritas nas partidas, diante das tchecas Marketa Vondrousova e Karolina Pliskova, nas oitavas de final, as americanas Bethanie Mattek-Sands e Jessica Pegula nas quartas de final e agora diante das russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova.

Luisa Stefani, que é a atual número 23 do ranking de duplas da WTA, também destacou a necessidade de jogar com o foco em cada ponto da partida depois que elas perderam a semifinal, quando chegaram a abrir 4 a 0 no primeiro set, e no final a estratégia deu certo.

"Eu tinha muito claro na minha cabeça desde o jogo na semi que para a gente pegar a medalha a gente tinha que estar aqui para jogar, tinha que jogar, então o foco era somente em jogar cada ponto e acho que nesse jogo foi o jogo que eu estava mais presente, mais empolgada e deixando rolar, tentando não pensar tanto no futuro, mas também acreditar na Laurinha, a gente confiava, foi cada ponto, a gente sabia que nesses jogos o que mais importa é a energia, acreditar até o final e deixar o corpo fazer o que faz melhor e deixar jogar", afirma a tenista.

"Acho que no final o sentimento é incrível, não tem como descrever o sentimento de acabar o último ponto, saber que aconteceu e você não estar entendendo nada. Foi incrível", completa Luisa.

Laura Pigossi também comenta o sentimento ao final da partida, no abraço das tenistas e a forma como elas conseguiram sair de situações difíceis em quadra a cada jogo até a conquista do bronze olímpico.

"Foi uma emoção, a gente conseguiu. A gente lutou tanto para estar aqui, para jogar juntas, sempre uma puxando a outra, buscando soluções mesmo nos jogos mais difíceis, estando com tudo contra. Eu acho que foi lágrima de alegria, de conquista mesmo, de estar junto, a gente fez história, acho que foi um pouco tudo junto", conclui a tenista.