PUBLICIDADE
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Demétrio Vecchioli: Brasil tem a segunda melhor ginasta do mundo

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 15h45

A ginasta Rebeca Andrade conseguiu a primeira medalha olímpica da ginástica feminina brasileira ao conquistar a prata no individual geral dos Jogos Olímpicos de Tóquio, e o repórter Demétrio Vecchioli, do UOL, participou do UOL News Olimpíadas para explicar a importância do resultado de Rebeca e até de certa frustração, considerando que ela competiu em um nível que poderia ter rendido uma medalha de ouro.

"Todas as vitórias são importantes para o esporte, mas essa é especial. Dos 12 maiores países do mundo, os mais ricos, 11 estavam aqui, só não estava a Índia porque não investe em esporte olímpico em nenhuma modalidade. Por que eu estou falando de economia? Porque isso daqui é um esporte importante para todos os países, é um esporte que pauta política pública, é um esporte importantíssimo para os Estados Unidos, para a China, para a Rússia, é geopolítica. Nnessa prova a gente tem uma brasileira que é a segunda melhor do mundo, que por muito pouco não foi a melhor", afirma Demétrio.

"A hora que saiu a nota, a primeira sensação foi meio que de tristeza, podia ter sido ouro e foi prata, e aí a ficha caiu, foi prata! O Brasil tem a segunda melhor ginasta do mundo, a segunda ginasta mais completa. É um baita resultado para a ginástica brasileira, é um baita feito para o esporte brasileiro em uma modalidade que tem tantas praticantes, porque quando a gente olha, não estou desmerecendo os resultados de outras provas, mas a ginástica é um dos grandes esportes e é essa prova que define quem é a grande ginasta do mundo, e a Rebeca ficou por isso daqui de se sagrar a melhor ginasta do mundo", completa.

O jornalista afirma que a ginasta tem condições de sair de Tóquio com uma medalha de ouro se conseguir acertar na final do salto, além de ter também a possibilidade de medalha no solo.

"Não foi hoje, mas ela tem duas finais ainda, no solo e no salto. No salto tem muita expectativa que ela ganhe o ouro, muita expectativa. Ela sabe fazer dois saltos muito difíceis, um que é muito difícil. Se ela fizer esse salto e acertar, ela ganha a prova. É arriscado para o joelho dela, a gente vai saber no dia, mas desde já fica a expectativa, queremos ver Rebeca campeã olímpica e vai ser em Tóquio, só vai ter que esperar um pouquinho mais", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL