UOL Olimpíadas
BUSCA




RECEBA O BOLETIM
UOL ESPORTE
 

 
27/09/2004 - 10h49
Brasil perde para Ucrânia e fica com a prata no futebol de 7

Lello Lopes*
Enviado especial do UOL
Em Atenas (Grécia)

Mesmo com muita luta, a seleção brasileira de futebol de 7 conheceu nesta segunda-feira sua primeira derrota nos Jogos Paraolímpicos de Atenas. E foi logo na decisão da medalha de ouro. Com a vitória por 4 a 1, a Ucrânia garantiu o lugar mais alto do pódio, deixando o time nacional com a prata.

Esta foi a primeira vez que o Brasil chegou à final da modalidade em Paraolimpíadas. Nos Jogos de Sydney-2000, a equipe ficou com o terceiro lugar. Já a Ucrânia era apontada como favorita para o confronto. O time tem no seu currículo o título mundial e o vice-campeonato paraolímpico.

Antes da partida, aconteceu um momento que deixou jogadores e torcedores emocionados, com um minuto de silêncio em homenagem às sete crianças mortas em um acidente automobilístico nesta segunda-feira. Os estudantes se dirigiam para Atenas para acompanhar o penúltimo dia dos Jogos Paraolímpicos.

A superioridade ucraniana ficou ainda mais flagrante graças à ausência do zagueiro Leandro Marinho, considerado um dos melhores do mundo, do meia Flávio Dino e do atacante Luciano Rocha no time brasileiro. Os três se envolveram em uma briga generalizada contra os argentinos na semifinal e foram expulsos, ficando de fora da decisão.

"Em nenhum momento vamos dizer que a culpa é deles. Muito pelo contrário. O grupo é fechado, uma família. Agradeço a 'Papai do Céu' por ter a oportunidade de trabalhar com eles", comentou o técnico brasileiro, Paulo Cruz.

"Desde Sydney, nossa meta era a final. Para o ouro, faltou o detalhe. Apesar dos desfalques, tivemos uma boa partida. Mesmo tomando o gol logo no começo do jogo, reagimos. Na minha maneira de entender, a equipe da Ucrânia é a melhor do mundo. O ouro para eles está bem definido", completou o treinador.

Para o zagueiro Adriano, os desfaques atrapalharam, mas mesmo assim o Brasil tinha chance de vencer. "Isso complicou bastante nossa equipe. Eles (a Ucrânia) têm um bom time, mas tínhamos condições de ser campeão."

Antes da final, o Brasil havia vencido todos os seus adversários. Na primeira fase, passou por Estados Unidos, por 4 a 0, repetiu a goleada frente a Holanda, por 6 a 1, e derrotou a Rússia, no seu jogo mais difícil até então, por 2 a 1. Na semifinal, nova goleada, desta vez sobre a arqui-rival Argentina, por 4 a 1.

Já a Ucrânia termina o torneio sem nenhuma derrota. Na etapa inicial, venceu Irlanda (por 6 a 0) e Irã (6 a 2) e ficou no empate contra os argentinos, por 2 a 2. Para chegar à final, o time bateu a Rússia, por 4 a 1.

Na disputa do terceiro lugar, a Rússia, que havia vencido a competição nos Jogos de Sydney-2000, massacrou a Argentina por 5 a 0. Os sul-americanos não contaram com Mario Sosa, expulso após briga na semifinal contra o Brasil.

Já no primeiro tempo, Aleksandr Glushonok, Andrey Kuvaev, Anton Kalachev e Ivan Potekhin abriram boa vantagem. No tempo complementar, Potekhin marcou de novo e completou a goleada.

A disputa pelo ouro
Apoiada por uma torcida barulhenta, a Ucrânia abriu o marcador logo na sua primeira chance na partida. Aos 2min, Volodymyr Kabanov avançou pela meia-esquerda e, da entrada da área, bateu cruzado para vencer o goleiro Marcão.

Acuado em campo, o Brasil mostrava muita luta e superação, mas pouco pressionava e não conseguia finalizar ao gol. Com isso, os ucranianos aproveitaram para ampliar aos 18min. Depois de cruzamento da esquerda, Marcão fez a defesa parcial, mas a bola explodiu em Renatinho e entrou no meio do gol.

A reação brasileira aconteceu apenas no final do primeiro tempo. Faltando um minuto e 10 segundos para o intervalo, Zeca puxou contra-ataque pela direita e, com um chute rasteiro cruzado, descontou para o Brasil.

Na segunda etapa, no entanto, o panorama da partida não se alterou. A Ucrânia continuou melhor em campo e dava trabalho ao goleiro Marcão, enquanto o Brasil pouco chutava ao gol.

Os atuais campeões mundiais então aproveitaram falha brasileira para aumentar o placar. Depois de um "chutão" para frente, a bola quicou duas vezes, encobriu Renatinho e Jean, e sobrou para o atacante Taras Dutko, que não desperdiçou. Foi o oitavo gol do ucraniano, que terminou o torneio como artilheiro.

Mesmo com a vantagem no placar, os ucranianos seguiram pressionando e quase marcaram o quarto aos 27min, quando Volodymyr Antonyuk carimbou a trave esquerda de Marcão.

Antes do apito final, o Brasil ainda perdeu o zagueiro Jean. Depois de grande jogada Antonyuk, o defensor, que era o "último homem", cometeu falta e acabou deixando a equipe com um jogador a menos.

Mais uma vez a Ucrânia foi ao ataque e chegou ao quarto gol. Antonyuk, o melhor do jogo, entrou com liberdade, driblou o goleiro Marcão e tocou de pé esquerdo para consolidar a medalha de ouro.

* O jornalista Lello Lopes viaja a Atenas a convite do Comitê Paraolímpico Brasileiro

Veja também



22/11/2004
10h36 - WADA tem orçamento acrescido em US$ 1,47 milhão

19/11/2004
20h13 - Brasileiro fica em 25º no Mundial de luge e soma ponto para Turim

18/11/2004
13h22 - Polícia faz diligência em empresa responsável por Turim-2006

12/11/2004
19h31 - COB anuncia indicados ao Melhor Atleta do Ano

10h20 - Jogos de Atenas custaram mais de 9 bilhões de euros à Grécia

05/11/2004
08h59 - Chineses adotam data "da sorte" para abertura dos Jogos de 2008

04/11/2004
14h38 - Presidente de comitê dos Jogos de Turim vai pedir demissão

13h51 - Putin recebe no Kremlin 182 medalhistas russos em Atenas 2004

09h06 - Barcelona ajudará candidatura de Madri às Olimpíadas de 2012

02/11/2004
10h09 - Governo dará a Paris 2,5 bilhões de euros para campanha olímpica

Mais notícias