PUBLICIDADE
Topo

Bruno Guimarães e Matheus Cunha pedem desculpa por polêmica do agasalho

Seleção brasileira de futebol conquista o ouro na final contra a Espanha nos Jogos Olímpicos de Tóquio - Clive Mason/Getty Images
Seleção brasileira de futebol conquista o ouro na final contra a Espanha nos Jogos Olímpicos de Tóquio Imagem: Clive Mason/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

10/08/2021 01h11

Após a conquista do ouro olímpico em Tóquio, o volante Bruno Guimarães e o atacante Matheus Cunha participaram do programa "Bem, Amigos" e pediram desculpas pela polêmica envolvendo os agasalhos na entrega das medalhas.

No último sábado (7), os brasileiros venceram a Espanha na decisão do futebol masculino e subiram no lugar mais alto do pódio descumprindo a determinação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que obrigava os atletas a vestirem o agasalho da fornecedora chinesa Peak. Ao invés disso, os jogadores amarraram os agasalhos na cintura e mostraram as camisas da Nike.

"Na hora ali da euforia, é um êxtase muito grande. É um ligando para a mulher, para a família. Depois os japoneses entraram no vestiário falando que só faltava a gente no pódio. Se a gente tivesse noção do tamanho disso, não teríamos feito isso, não quisemos desrespeitar nenhum atleta. Estávamos no espírito olímpico, nos juntamos no hotel para assistir (as outras modalidades). Claro que erramos e pedimos desculpa", disse Bruno Guimarães.

"Não foi uma decisão acatada, foi um momento de êxtase. Não foi por maldade nenhuma, se alguém foi prejudicado por nós, pedimos desculpas porque não queríamos isso. Torcemos para todos os atletas brasileiros, temos muito orgulho de ter feito parte do Time Brasil. Foi uma tomada de decisão totalmente inconsciente, não quisemos prejudicar ninguém, então pedimos desculpas", concluiu Matheus Cunha.

No domingo, a Peak se manifestou em suas redes sociais e repercutiu com ironia a situação.

"Parabenizamos o time brasileiro de futebol. No entanto, esperamos que este confronto não esteja nas manchetes amanhã. Confirmamos que se trata de um boato a informação de que a Nike era uma marca secundária da Peak e que fazemos parte da mesma companhia. Somos empresas diferentes, e não existia nenhuma intenção de que houvesse uma combinação das camisas da Nike com as calças de pódio da Peak, isso é um rumor maluco. Alguém precisa ser responsabilizado por isso, e por colocar a Nike em uma situação embaraçosa. Nós somos Peak, eles são Nike. Esta é a nossa cerimônia de pódio para o time de futebol. Espero que tudo esteja claro agora. De qualquer forma, os atletas estão de parabéns", postou a empresa no Instagram.