PUBLICIDADE
Topo

Inspirada em Rebeca Andrade, ginasta de 9 anos brilha e pensa em Olimpíadas

Sophia Carvalho já tem uma coleção de medalhas na ginástica artística - Arquivo Pessoal
Sophia Carvalho já tem uma coleção de medalhas na ginástica artística Imagem: Arquivo Pessoal

Roberto Salim

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/08/2021 04h00

Enquanto Rebeca Andrade se preparava para o desfile de encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a pequena Sophia Carvalho começava a mostrar ao mundo da ginástica porque aos 9 anos já sonha em repetir um dia os feitos de sua inspiradora. Ela foi a estrela do campeonato estadual pré-infantil realizado no último sábado, em São Bernardo do Campo (SP).

"Se teve alguma novidade?", pergunta a árbitra internacional Mônica dos Anjos, que anos atrás deu os primeiros testes para ver se Rebeca Andrade tinha jeito para a ginástica. E ela que atuou como árbitra no campeonato paulista responde com entusiasmo: "Teve novidade sim, a Sophia, campeã no individual geral".

Sophia é filha do gráfico Carlos e da confeiteira Cleonice. Mora no Itaim Paulista, no extremo Leste de São Paulo. Leva quase três horas de transporte para chegar aos treinos. É atleta da equipe ADECO, do Centro Olímpico, que funciona no Ibirapuera, e é treinada pela professora Beatriz Fragoso Camargo Estevan.

"Apesar da idade, a Sophia já é vista e preparada com olhar olímpico", admite a técnica Beatriz, que foi ginasta, é formada em educação física e desde 2016 faz cursos e estágios com a seleção nacional para se aperfeiçoar cada vez mais no esporte de sua vida. "A Sophia veio do Clube Escola. E já no teste vimos que era um talento. E digo aqui: talento físico e mental".

Sophia chegou para os testes com 6 anos. E sua mãe Cleonice quis saber o que a técnica Beatriz tinha achado da menina. "E a Beatriz me disse: 'Você tem um tesouro dentro de casa e nós vamos lapidar a Sophia aqui'. Eu não esqueço dessas palavras. E desde então, faça chuva ou faça sol eu levo minha filha para o Ibirapuera".

A menina, que vai fazer dez anos no dia 3 de setembro, começou a treinar nas aulas de recreação do CEU Parque Veredas. No Centro Olímpico, ela encantou a todos no primeiro dia.

"Ela é ágil, forte e pequena e já está no grupo do alto rendimento", explica a treinadora Beatriz, que chama a menina de Mini-Sophi, pela altura que pouco passa de 1,05 m. "Ela já treina no mesmo patamar do grupo da Cristal Bezerra, que é outra menina nossa que já está na seleção brasileira. Os treinos são voltados sim para a perfeição, pois o objetivo da ginástica do alto rendimento é tentar ser perfeita".

Hoje a Mini-Sophi faz uma paralela muito boa, segundo a avaliação de quem assistiu ao campeonato estadual. "Mas ainda é cedo para falar em qualquer especialização, mesmo porque a mesa de saltos é mais alta do que ela", diverte-se a professora.

A explosão e potência vêm da genética: como Daiane dos Santos e Rebeca Andrade, Sophia é uma criança preta. "E ela tem também outros atributos que são fundamentais para este esporte", prossegue a técnica. "Ela é inteligente, muito esperta e possui uma coordenação que permite entender rapidamente a mudança dos exercícios. Ela suporta bem o ritmo dos treinos, é forte. Estuda e treina com responsabilidade. E é muito dedicada: imagine que ela gasta quase 3 horas em transporte para vir treinar".

A menina tem todo o ânimo e apoio dos pais, entusiasmados com o sucesso da ginástica brasileira em Tóquio. "Quando ela tinha quatro anos, viu uma entrevista da Rebeca e me disse que queria ser igual a ela, fazer ginástica, ir a uma Olimpíada", conta o pai. "Não quero que pensem que estou aproveitando este momento, mas é a pura verdade: a inspiração da Sophia é a Rebeca. Por isso acordamos de madrugada todos os dias em que ela competiu em Tóquio só para torcer".

Um dos sonhos de Sophia é encontrar a campeã olímpica. "Eu gosto muito da Rebeca, mas ainda não a conheço pessoalmente. Mas agora eu vou conhecer", promete Sophia, que já tem sua coleção particular de medalhas. Carlos lembra que em uma entrevista recente, Sophia disse que gosta de se imaginar nas Olimpíadas. "Gosto de me desafiar", foi sua declaração, que encantou ainda mais a técnica e o pai.

"Os resultados da Rebeca e as medalhas a deixaram super animada", comentou Beatriz, que assistiu emocionada ao desfile de encerramento dos Jogos Olímpicos no domingo. "Conheço a Rebeca e ela é uma menina muito especial. Na hora do desfile em fiquei orgulhosa. O fator Rebeca vai agitar a ginástica brasileira, com certeza", concluiu a treinadora que também tem agora um sonho olímpico ao lado de Sophia - a nova menina do País das Rebecas.